Motoristas de BRT encerram paralisação após empresa prometer pagar 13º salário A empresa BRT Rio entrou em acordo com o Sindicato dos Rodoviários do Rio de Janeiro e pôs fim à greve dos funcionários depois de uma segunda-feira de caos. A operadora do sistema se comprometeu a pagar os 30% que faltavam da primeira parcela do décimo terceiro salário, conforme determina a legislação trabalhista.

A paralisação realizada durante a tarde e a noite de ontem (30) fez com que a cidade chegasse a registrar mais de 130 quilômetros de congestionamentos, levando o Centro de Operações do Rio de Janeiro a decretar estágio de mobilização.

Passageiros enfrentaram longas filas à espera de um ônibus. Um deles não teve muita paciência e acabou sendo preso após tomar a direção de um ônibus do BRT. Segundo agentes da Operação Barra Presente, ele é motorista de outra empresa e alegou que estava revoltado com a demora do ônibus para sair da Estação Alvorada, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

O passageiro decidiu assumir a direção do veículo e seguiu pela Avenida das Américas. No percurso feito ontem, sete pessoas que aguardavam a condução embarcaram no transporte. Na estação Interlagos, uma viatura da Operação Barra Presente conseguiu parar o coletivo.

O motorista e os passageiros foram conduzidos para a 16ª Delegacia de Polícia da Barra da Tijuca.

Leia nota da empresa
O BRT Rio informa que os serviços nos seus três corredores (Transoeste, Transcarioca e Transolímpica) foram interrompidos nesta tarde, devido à paralisação das atividades de alguns motoristas. O movimento acarretou irregularidades nos intervalos, inviabilizando a operação em todo o sistema.

A manifestação dos motoristas decorre do parcelamento do 13º salário pelo BRT Rio. Devido ao colapso financeiro pelo qual o sistema vem passando desde o início da pandemia, o sindicato dos empregadores está em negociações com o Sindicato dos Rodoviários sobre a necessidade desse parcelamento, sob o risco de parar definitivamente suas atividades. Hoje (30/11/2020) foram depositados 20%. O posicionamento sobre o saldo remanescente será informado em 15 dias, em função das negociações sindicais. Uma assembleia geral extraordinária com a categoria será realizada nesta quarta-feira, dia 2, para deliberar sobre a questão.

Ressaltamos o comprometimento do BRT Rio no sentido de que, caso sobrevenha qualquer auxílio ou subsídio das esferas de governo, a quitação do 13º salário dos seus funcionários será antecipada na mesma proporção.

Apesar das dificuldades financeiras decorrentes das medidas restritivas impostas pelo combate à Covid-19, que causaram perda de receita de R$ 155 milhões de março a outubro, e também pelo conjunto de aspectos que vêm contribuindo para o desequilíbrio financeiro do sistema, tais como o não reajuste da tarifa há 22 meses, a evasão por calotes, as políticas de gratuidade sem fonte definida de custeio, a concorrência desleal do transporte clandestino, a má conservação das pistas e os furtos de equipamentos e vandalismo nas estações, o BRT Rio vem honrando o pagamento de salário de seus colaboradores, e o mesmo será feito em relação ao 13º. salário.