Pela primeira vez PT não consegue eleger prefeito em uma capital Os sucessivos escândalos de corrupção envolvendo o PT nos últimos anos receberam uma resposta nas urnas nestas eleições municipais. O partido chegou no segundo turno disputando três capitais, mas não levou nenhuma. Com a derrota de Marília Arraes no Recife e João Coser em Vitória, pela primeira vez na história o PT não terá um representante em uma capital do país.

No segundo turno, o PT levou a prefeitura de quatro das 15 cidades que disputou. O partido ganhou as prefeituras de Diadema e Mauá, na região metropolitana de São Paulo, e os municípios de Contagem e Juiz de Fora, em Minas Gerais.

O eleitor parece ainda guardar na memória o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e os 19 meses que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou na prisão em decorrência de condenações de primeira instância no âmbito da Operação Lava-Jato.

O partido ganhou pela primeira vez uma prefeitura no país em 1985, com a vitória de Maria Luiza Fontenele, em Fortaleza. O ápice da trajetória do partido ocorreu em 2004, quando emplacou prefeitos em nove capitais. Já nas eleições de 2016, o PT ganhou apenas em Rio Branco, no Acre, com a reeleição de Marcus Alexandre.

O partido levou 183 prefeituras nas eleições deste ano. EM 2016, foram 254 cidades em que a legenda foi vitoriosa e, em 2012, 638.