Mais de 6 milhões de eleitores vão às urnas em cinco municípios do Rio Mais de 6,4 milhões de eleitores deverão votar hoje (29) no segundo turno das eleições em cinco municípios do estado do Rio de Janeiro: Campos dos Goytacazes, Petrópolis, Rio de Janeiro, São Gonçalo e São João de Meriti. Ao todo, serão mais de 2 mil locais de votação e 15,9 mil sessões. Mais de 63,6 mil mesários atuarão neste domingo. Os dados são do Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-RJ).

De acordo com o TRE-RJ, serão utilizadas 15,9 mil urnas eletrônicas. Outras 1,9 mil estarão à disposição caso seja necessário fazer alguma substituição.

A maior parte dos eleitores está na capital, 4,8 milhões, onde disputam o segundo turno o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) e o atual prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos). No Rio, há 1,4 mil locais de votação e estarão à disposição 12,9 mil urnas eletrônicas, sendo cerca de 1,5 mil de contingência.

Em São Gonçalo, há 663,8 mil eleitores. No município, disputam o segundo turno Dimas Gadelha (PT) e Capitão Nelson (Avante). São 154 locais de votação e 1,9 mil urnas disponíveis. São João de Meriti tem 376,9 mil eleitores que votam em 119 locais, com 1,1 mil urnas eletrônicas disponíveis. Disputam o segundo turno Dr. João (DEM) e Leo Vieira (PSC).

Em Campos dos Goytacazes votam 360,6 mil eleitores em 200 seções. Ao todo, cerca de mil urnas estarão à disposição. Disputam o segundo turno no município Wladimir Garotinho (PSD) e Caio Vianna (PDT). Em Petrópolis, onde disputam a eleição Rubens Bomtempo (PSB) e Bernardo Rossi (PL), votam neste domingo 240,1 mil eleitores em 126 locais. Estarão disponíveis 707 urnas eletrônicas.

O segundo turno, de acordo com a legislação, ocorre apenas nas cidades com mais de 200 mil eleitores, quando nenhum dos candidatos alcança a maioria absoluta dos votos, ou seja, metade mais um dos votos válidos.

Segurança
De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro, haverá policiamento nos mais de 2 mil pontos de votação no estado, em vias urbanas e rodovias. A Polícia Militar atuará também na escolta das urnas eletrônicas e na segurança dos polos eleitorais, onde são guardadas as urnas para a contabilização dos votos.

As aeronaves remotamente pilotadas, ou drones, usadas no primeiro turno, voltarão a ser empregadas para auxiliar o patrulhamento nas vias públicas e locais de votação na região metropolitana. Os drones vão transmitir imagens em tempo real para os centros de operações instalados no Quartel General, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no Grupamento Aeromóvel (GAM) e para aparelhos celulares de comandantes de unidades estratégicas.

O Centro Integrado de Operações Coordenadas, formado por equipes de 11 órgãos estaduais, municipais e federais, é responsável por monitorar a operação. Trabalham de forma conjunta a Polícia Militar, Polícia Civil, Secretaria de Administração Penitenciária, o Corpo de Bombeiros, a Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Marinha, o Exército, Guarda Municipal, o TRE e Ministério Público.

Orientações do TRE
Por causa da pandemia do novo coronavírus, para garantir maior segurança a todos os envolvidos na eleição, o uso da máscara será obrigatório nos locais de votação, o eleitor será orientado a manter uma distância mínima de um metro de outras pessoas e evitar qualquer contato físico. Além disso, de acordo com o TRE-RJ, não será permitido se alimentar, beber ou fazer qualquer atividade que exija a retirada da máscara. Não será utilizada a identificação biométrica.

Hoje são proibidos a aglomeração de pessoas e veículos com material de propaganda, o uso de alto-falantes, a realização de comícios, carreatas, transporte de eleitores e boca de urna, e qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de candidatos em publicações, como panfletos e cartazes. Só é permitida a manifestação individual e silenciosa do eleitor por meio de adesivos, bandeiras, broches e dísticos.

Para votar, o eleitor deve portar um documento oficial com foto original e dentro da validade, como carteira de identidade ou identidade funcional reconhecida por lei, certificado de reservista ou carteira de trabalho. A carteira nacional de habilitação também é aceita, inclusive se já estiver fora da validade.

É possível também usar o aplicativo e-Título. Caso o eleitor já tenha feito o cadastramento biométrico na Justiça Eleitoral, a apresentação da versão online, com a foto do eleitor, torna desnecessário qualquer outro documento. Se ainda não tiver feito a biometria ou a foto não conste no aplicativo, mesmo que tenha a versão online, ele deverá levar um documento oficial com foto.

Os eleitores que não comparecerem neste segundo turno aos locais de votação deverão justificar o voto.