Resgatada pela Cristolândia, ex-bruxa da Cracolândia se forma em Missões neste sábado (28)

Silvia Regina Ferreira, que já foi presa e passou anos na Cracolândia de São Paulo, vai colar grau na Graduação em Missões pelo Centro Integrado de Educação e Missões (CIEM). Aos 63 anos, ela consegue “sentir o que é ter paz”.

A vida de Silvia esteve indo por caminhos tortos desde sua infância. Aos 9 anos, a ainda menina fugiu de casa e passou a morar na Cracolândia do centro da cidade de São Paulo. Foi lá que ela começou a roubar e se tornou chefe do bando, de 13 para 14 anos. Aos 18 ela já era presa e condenada por assalto a mão armada.

Foram 25 anos em presídios até que saiu e, por medo de rejeição da família, voltou àquela que tinha sido sua segunda casa: a cracolândia. Nessa época, não havia emprego, então Silvia começou a trabalhar com a venda de crack no local, até se viciar na droga. Mais 14 anos se passaram e ela se tornar conhecida como a "Bruxa da Cracolândia".

Mas em 2013, Silvia recebeu um abraço inesperado que mudou sua trajetória. Estava diante dela a missionária Fernanda Toyonaga, da Cristolândia de São Paulo, projeto da Junta de Missões Nacionais (JMN). Silvia aceitou ser levada à Casa Rosa, onde deixou de ser a "Bruxa da Cracolândia" para se entregar a Jesus Cristo. E depois de tantos desafios, nem um AVC (Acidente Vascular Cerebral) foi capaz de parar a brava mulher.

Silvia pôde tratar a dependência química na Cristolândia, onde também conseguiu estudar e completar o ensino fundamental e o ensino médio. Mas ela não parou por aí. Neste sábado (28), aos 63 anos, Silvia Regina Ferreira vai concluir o ensino superior. A cerimônia de colação de grau na Graduação em Missões pelo Centro Integrado de Educação e Missões acontece às 10h, com transmissão da JMN no YouTube (acesse clicando aqui).

Em 2017, em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, Silvia disse uma frase que pode definir toda sua jornada: “Agora eu consigo sentir o que é ter paz”.