Cientista responsável pelo programa nuclear do Irã é morto. País acusa Israel

Foi morto nesta sexta-feira (27) Mohsen Fakhrizadeh, principal cientista responsável pelo projeto nuclear do Irã. O Ministério da Defesa do país informou que Mohsen foi baleado em Damavand, província da capital, Teerã. País acusa Israel.

O cientista era um grande alvo do serviço de inteligência de Israel, a Mossad, que agora está sendo acusado pelo governo iraniano, informou o New York Times. O Ministro do Exterior do Irã, Javad Zarif, condenou o caso em rede social:

“Terroristas assassinaram um eminente cientista iraniano hoje. Esta covardia – com sérios indicativos de papel israelense – mostra uma guerra bélica desesperada dos perpetradores [praticantes do crime]” – afirmou o ministro, que seguiu – “O Irã apela à comunidade internacional – especialmente à União Europeia – que encerrem seus vergonhosos padrões duplos e condenem este ato de terror de Estado.”

Hossein Dehghan, comandante e conselheiro militar do líder supremo do Irã, Ali Khamenei, prometeu vingança: "Nós vamos atacar como um raio os assassinos deste mártir e faremos eles se arrependerem de seus atos". Dehghan ainda afirmou que Israel, “nos últimos dias de vida política de seu aliado (presidente americano Donald Trump), busca intensificar as pressões ao Irã e criar uma guerra em pleno desenvolvimento.”

Programa nuclear do Irã

Os serviços de inteligência dos Estados Unidos e de Israel consideravam Mohsen Fakhrizadeh o maior nome por trás dos programas iranianos para construção de uma arma nuclear. Os programas foram oficialmente interrompidos em 2000, mas, para EUA e Israel, eles continuavam operando de forma secreta. Segundo o Irã, seus programas são pacíficos.