Jesus é inspiração para Damares na luta pelos direitos humanos

Vítima de preconceito religioso desde que assumiu o “Ministério da Mulher e Família e Direitos Humanos”, Damares Alves, tem lutado por diversas causas, entre elas, a comunidade LGBT, que independentemente de orientação sexual, tem seus direitos de cidadania respeitados.



Recentemente em entrevista para a revista IstoÉ, a ministra foi questionada sobre possíveis conflitos devido sua posição conservadora e religiosa, por estar à frente de uma pasta que defende os direitos humanos.



“Qual é o primeiro direito humano? O direito à vida. Então sendo conservadora ou não, temos que lutar pelo direito à vida”, destacou a ministra.



Vítima de polêmicas criadas pela mídia, a ministra desabafou, e disse:



“Olha, eu não me envolvi em polêmicas como ministra. Fizeram polêmicas com falas minhas, retiradas de palestras, ou de cultos lá na igreja ou mesmo de palestras no meio acadêmico. Frases retiradas de um contexto e através disso criou-se uma polêmica. O que vi com isso? Vi maldade. Inclusive um componente de preconceito religioso”, desabafa.



Questionada como ela concilia sua atuação em frente ao ministério dos direitos humanos, tendo uma forte formação cristã e de posição conservadora, a ministra respondeu:



“Todas as pautas de direitos humanos não entram em conflito, de forma alguma, com o fato de eu ser religiosa ou conservadora. Pelo contrário. Jesus Cristo foi o maior defensor dos Direitos Humanos do planeta. Jesus Cristo veio para os excluídos. Veio restaurar a dignidade da mulher na sociedade. Jesus Cristo esteve com os abandonados, com os pobres, falou de igualdade, falou de direitos, então eu me inspiro nele. A luta pelos Direitos Humanos para mim é inspirada no maior de todos os mestres: Jesus Cristo, disse a ministra.