Pessoas sem ter o que comer escavam caixas de frango descartadas por órgão sanitário na Argentina

Moradores da cidade argentina de Porto Iguaçu, na fronteira com o Paraná, desenterraram 1,2 mil caixas de frango que haviam sido descartas pelo órgão sanitário da Argentina, na terça-feira da semana passada (17). Segundo as autoridades, a carne não tinha condições de consumo.

Os produtos foram apreendidos pela Marinha da Argentina após denúncia de contrabando, mas ficaram mais de 24 horas sem refrigeração e tiveram que ser descartados. Os moradores de Porto Iguaçu que estão passando fome devido à crise econômica na cidade, estão tendo que se submeter ao consumo desses alimentos para sobreviver.

Claudio Altamirano, representante do Movimento Ativo Social e Político Iguaçu (MAS), comentou a situação:

“Toda essa situação complexa, socioeconômica, faz com que Porto Iguaçu esteja afundada na miséria, na pobreza e na fome. Essas imagens são o reflexo fiel, a realidade de como estamos hoje em Porto Iguaçu. A fome bate forte nas portas e também esvazia os potes das famílias. Eles tiveram que desenterrar frango para poder comer.”

Com 105 mil habitantes, a economia de Porto Iguaçu é muito dependente do turismo, especialmente devido ao Parque Nacional Iguazú, que abriga as famosas cataratas, mas as fronteiras com Foz do Iguaçu, no Paraná (Brasil), estão fechadas desde março devido a pandemia, e a cidade enfrenta uma grave crise econômica desde então, que atinge de forma mais séria as pessoas em vulnerabilidade social.