Pastores nos EUA retomam cultos online para impedir segunda onda do coronavírus Sessenta e um pastores nas igrejas da área de Grand Rapids, no Michigan, Estados Unidos, concordaram em interromper grandes reuniões, incluindo cultos de adoração e casamentos, já que o aumento de casos de coronavírus sobrecarrega os profissionais de saúde e hospitais da região. As igrejas voltaram a realizar cultos online.

“Os pastores ficaram comovidos com os apelos dos profissionais de saúde da linha de frente, bem como com o sofrimento contínuo e a perda de vidas dos residentes do condado de Kent por conta deste vírus”, disse o reverendo Khary Bridgewater do “Urban Life Church Leadership”.

“Nossos médicos e enfermeiras estão arriscando suas vidas, trabalhando em dois turnos, sofrendo por meio de dificuldades físicas, mentais e emocionais para cuidar dos pacientes. Queremos dar a eles uma chance de lutar. ”

Bridgewater faz parte da Força-Tarefa Covid-19 da Igreja do Condado de Kent, que se reúne semanalmente com os líderes do Departamento de Saúde do Condado de Kent desde março, quando os primeiros casos foram documentados no condado.

Desde a última quarta-feira (18), as igrejas passaram a realizar cultos online e limitar as reuniões a cinco pessoas. Elas seguirão assim até 8 de dezembro.

Autoridades estaduais emitiram recentemente um período de três semanas de novas restrições, incluindo a proibição de aprendizado na escola para alunos de segundo grau e faculdades, e serviço de jantar em bares e restaurantes, até 8 de dezembro.

Michigan relatou 48.757 novos casos de coronavírus nos últimos sete dias, uma média de 6.965 casos por dia. A área de Grand Rapids está entre os principais pontos do estado.

A força-tarefa dos pastores do condado de Kent disse que algumas igrejas começarão a fazer verificações de bem-estar por telefone, mensagem de texto ou plataformas digitais.

A força-tarefa citou “falta de capacidade catastrófica em hospitais e sistemas de saúde em todo o estado” ao limitar as reuniões presenciais.