Cientistas conseguem induzir resposta imune ao HIV em ratos

Cientistas do Instituto de Pesquisas Scripps, dos Estados Unidos, podem ter dado um grande passo em direção a uma possível vacina ou cura para a Aids. Em um estudo publicado na última terça-feira (17) na revista científica Nature Communications, os pesquisadores conseguiram induzir resposta imune em ratos contra a infecção do HIV, vírus causador da doença.

A Aids é uma IST (Infecção Sexualmente Transmissível) que não tem cura. O tratamento é realizado com antivirais que apenas retardam a progressão da doença. Agora, os pesquisadores conseguiram induzir em ratos a produção de anticorpos neutralizantes chamados de “bnabs”, que podem prevenir a infecção pelo HIV.

O resultado foi conseguido através da reprogramação de genes de um anticorpo específico das células B do sistema imunológico, que podem se transformar em células de memória e células plasmáticas para produzir altos níveis de anticorpos protetores por longos períodos de tempo.

A esperança dos cientistas é que um dia essa abordagem possa dar origem a uma vacina ou a uma cura definitiva para as infecções por HIV. Atualmente, os tratamentos são paliativos e caros, e os pesquisadores buscam uma solução funcional e acessível.

Brasil é referência

Cerca de 38 milhões de pessoas são portadoras do HIV no mundo, sendo que 25% delas não tem esse diagnóstico. O programa de prevenção e tratamento da Aids do Brasil, realizado por meio do SUS (Sistema Único de Saúde), é referência mundial, reconhecido pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids).


Siga-nos