Vacina da Johnson & Johnson deverá custar 10 dólares A farmacêutica Janssen, que pertence à multinacional Johnson & Johnson revelou que sua vacina contra a Covid-19 deve ser lançada em 2021 com um preço inferior a US$ 10 por unidade (o equivalente a cerca de R$ 55).

Um estudo, aprovado pela Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos Sanitários na última quarta-feira (18) espera garantir que o imunizante esteja disponível “em algum momento do primeiro ou do segundo semestre” de 2021.  A informação foi dada pelo vice-presidente do Comitê Executivo da Johnson & Johnson, Joaquín Duato, durante conferência organizada pela IESE Business School em parceria com a consultoria McKinsey & Company.

Segundo o executivo, os resultados clínicos das vacinas da Pfizer e da Moderna, que apresentaram 95% de eficácia, dão ânimo para outras empresas continuarem buscando a imunização.

Duato informo, ainda, que a Johnson & Johnson trabalhou em uma cadeia de fornecimento para ofertar 1 bilhão de vacinas em 2021 através de uma rede colaborativa. O executivo garantiu ainda que a vacina da marca garantirá os padrões de qualidade anunciados por outras farmacêuticas.

“Não é uma situação competitiva, é uma questão social e uma crise global na qual precisaremos de várias vacinas, não apenas uma, porque devemos vacinar milhões de pessoas”, afirmou Duato.

Critérios para aquisição
Nesta semana a equipe do Ministério da Saúde se reuniu com representantes de laboratórios da Pfizer, da farmacêutica estadunidense Moderna, do consórcio russo responsável pela Sputinik V e da empresa Janssen (braço da Johnson e Johnson). Hoje está prevista reunião com a equipe da Covaxin, da Índia.

Segundo o secretário-executivo Élcio Franco, devem ser assinados protocolos de intenção não vinculantes e um acordo de aquisição só poderá ser feito após o registro do tratamento juntamente à Anvisa.

“Temos como premissa que a vacina vai ter de oferecer segurança, eficácia, uma produção em escala e oferta em tempo oportuno para podermos inserir no Programa Nacional de Imunização, ela deverá ter um preço e condições logísticas adequadas e favoráveis e deverá possuir o registro na Anvisa”, colocou Franco.

Na corrida internacional pelas vacinas, os Estados Unidos possuem 11 vacinas em fase clínica. O Brasil está em 7º, com 15 alternativas em fase pré-clínica. Ensaios clínicos em andamento no Brasil há a da Universidade de Oxford/Astrazeneca, a Sinovac/Instituto Butantan, a Pfizer/Biontech e a Janssen, um braço da Johnson & Johnson.