Remédio para tratar artrite tem resultados “promissores” em testes em pacientes graves de Covid-19

Conforme os meses vão passando desde a descoberta do novo coronavírus, o SarsCov-2, cientistas tentam avançar em ferramentas que possam conter a pandemia. Com as vacinas cada vez mais próximas da aprovação, tratamentos para a Covid-19 também são estudados mundo afora. No Reino Unido, pesquisadores acreditam que podem ter encontrado mais um remédio eficaz contra a Covid-19.

Trata-se do tocilizumabe, anticorpo monoclonal usado para tratamento da artrite reumatoide. Em testes conduzidos no Reino Unido e na Holanda, a droga apresentou “resultados promissores” em pacientes acometidos com a forma grave da doença. Segundo os organizadores do estudo, houve evidência suficiente que apontasse que o medicamento estava funcionando.

Ainda falta, porém, saber quais são os reais efeitos do tocilizumabe em pacientes de Covid. Por exemplo, ele reduz a taxa de mortalidade ou o tempo de internação? Os especialistas do Imperial College de Londres (Reino Unido) e da Universidade de Utreque (Holanda) acreditam que terão uma definição do estudo em algumas semanas.

O professor Anthony Gordon, do Imperial College, disse que eles “esperam que o medicamento faça as duas coisas” (diminua a mortalidade e o tempo de internação). Ele ressaltou que, se confirmados os resultados “muito encorajadores” de até agora, o tocilizumabe poderia “se tornar o padrão de tratamento” para a Covid.

Só um medicamento aprovado até gora

Até agora, o único medicamento comprovadamente eficaz para diminuir a mortalidade da Covid-19 é o corticoide Dexametasona. Os resultados dos testes foram anunciados pela Universidade de Oxford (Inglaterra) em junho.

Segundo o estudo, o remédio só é eficaz em casos graves da doença, quando o paciente precisa de respiradores, podendo diminuir a mortalidade em 29%. Em casos leves, o uso da droga aumentou a mortalidade de 14% para 17,4%, portanto, seu uso não é recomendado sem prescrição médica.