TSE estuda implementar voto pela internet em 2022

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) esteve presente neste domingo (15) em algumas demonstrações de empresas que apresentaram propostas para a realização das eleições pela internet. O tribunal estuda a possibilidade de implantação gradual a partir de 2022.

As demonstrações acontecem depois que o TSE abriu, em setembro deste ano, um edital para que as empresas interessadas apresentassem suas propostas para uma possível votação online. Mais de 30 enviaram propostas, sendo que 26 fizeram demonstrações ontem. Segundo o ministro Barroso, uma comissão do TSE vai avaliar as propostas e, se forem satisfatórias, podem começar a ser implantadas de forma gradual a partir de 2022.

As urnas eletrônicas, garante o presidente do TSE, são seguras, mas como se tornam obsoletas rapidamente, demandam muito custo para serem substituídas e possuem um processo de compra complexo.

“Nós convocamos empresas de tecnologia a apresentarem soluções tecnológicas para que a votação possa ser feita pelo próprio dispositivo do eleitor, seja seu telefone celular, seja seu tablet ou eventualmente seu computador” – afirmou o ministro.

Segurança e Infraestrutura são desafios

Os principais desafios para uma votação virtual são a segurança do sistema, que seria conectado pela internet e, portanto, mais vulnerável a invasões e ataques hackers, a segurança dos próprios eleitores quanto ao sigilo do voto, que poderia ser mais facilmente violado, e a demanda de infraestrutura e acesso universal à internet pelos brasileiros. Por isso, alguns especialistas em Tecnologia da Informação (TI) acreditam que ainda pode levar tempo para que seja implantada no Brasil.