Vacina da Moderna é mais uma a mostrar eficácia: 94% em análises preliminares

A farmacêutica Moderna, dos Estados Unidos, divulgou na manhã desta segunda-feira (16) que sua vacina contra a Covid-19 mostrou eficácia de 94,5% em análise preliminar dos dados da fase 3 dos testes, o último estágio antes da possível aprovação.

Os dados são provisórios e ainda precisam ser publicados em uma revista científica para que sejam revisados por pares (outros cientistas). Mas, dos primeiros 95 voluntários do estudo que pegaram a Covid-19, 90 deles haviam recebido o placebo (substância inativada) e apenas cinco foram realmente vacinados, o que sugere uma eficácia altíssima de 94,5%.

Para se ter uma ideia, a vacina da gripe, em um bom ano, costuma imunizar de 50% a 60% de quem recebe a dose. Para a Covid-19, as agências reguladoras não devem aprovar imunizantes que protejam menos do que isso. E é com esses dados preliminares que a Moderna já deve solicitar ao FDA (órgão regulatório americano para remédios e alimentos) uma autorização para uso emergencial da vacina nos Estados Unidos. A companhia também espera receber aprovação em outros países do mundo.

No anúncio, o CEO da empresa, Sne Bancetéphal, classificou o momento como “crucial”:

“Este é um momento crucial no desenvolvimento de nossa vacina candidata. Desde o início de janeiro, temos perseguido esse vírus com a intenção de proteger o maior número possível de pessoas ao redor do mundo. Sabemos que cada dia é importante. Esta análise provisória positiva do nosso estudo de fase 3 nos deu a primeira validação clínica de que nossa vacina pode prevenir contra a doença, incluindo casos graves”.

Moderna é a terceira a divulgar dados da fase 3

A vacina da Moderna é a terceira a ter dados de eficácia divulgados após análises preliminares da fase 3 dos testes, que é o último estágio de estudo antes da aprovação. Na semana passada, a Pfizer anunciou que seu imunizante apresentou 90% de eficácia nas primeiras avaliações, enquanto o Instituto Gamaleya, da Rússia, anunciou que sua vacina se mostrou 92% de eficácia.