Perdeu a votação? Veja como justificar

O eleitor que teve algum imprevisto e não conseguiu votar neste primeiro turno das Eleições Municipais tem até 60 dias para apresentar justificativa ao Tribunal Regional Eleitoral do seu estado. Um dos meios para justificar a ausência é pelo aplicativo e-Titulo. Como neste domingo a ferramenta apresenta instabilidade devido aos milhares de acessos, o Tribunal Superior Eleitoral recomenda deixar a justificativa para depois no site ou app.



No começo da tarde, o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, reconheceu que o aplicativo e-Título está apresentando instabilidade momentânea, mas disse que isso se deve ao grande volumes de usuários que tentam baixar o aplicativo “simultaneamente” e de “última hora”. Só ontem, disse Barroso, foram 3 milhões de acessos num único dia. “Todo mundo baixando no último dia tem esse problema”, disse. “Peço que as pessoas se empenhem e insistam”, afirmou Barroso, ressaltando que o aplicativo está funcionando.



O eleitor pode, em até 60 dias após cada turno da votação, apresentar a justificativa pelo e-Título, pelo Sistema Justifica na internet ou entregar o Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição) em qualquer zona eleitoral, ou enviá-lo pela via postal ao juiz da zona eleitoral na qual for inscrito, acompanhado da documentação comprobatória da impossibilidade de comparecimento ao pleito.



Para saber o endereço dos cartórios eleitorais, acesse a página do tribunal regional eleitoral da respectiva unidade federativa ou https://www.tse.jus.br/eleitor/servicos/cartorios-e-zonas-eleitorais/zonas-eleitorais-cartorios



O eleitor que não justificar deve pagar uma multa no valor de R$ 3,51 por cada turno (se deixar de votar no 1º e 2º turno terá que justificar a ausência em ambos).



Aquele que não votar, justificar ou pagar a multa por três eleições seguidas tem sua inscrição cancelada.



Quem estiver em débito (inscrição cancelada) com a Justiça Eleitora não poderá:



 Tirar passaporte ou carteira de identidade;



Participar de concorrência pública;



Ter recebimentos, remuneração, salário ou emprego público;



Obter empréstimos em órgãos públicos;



Se inscrever em concurso ou prova para função pública;



Praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda;



Obter certidão de quitação eleitoral.