TRE-RJ fiscaliza crimes de boca de urna e compra de votos O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, o desembargador Cláudio Brandão de Oliveira, disse em coletiva por volta das 10h30 deste domingo (15), que o início de votação no estado foi tranquilo. Segundo o desembargador, foram registradas apenas a substituição de algumas urnas e algumas ocorrências de boca de urna.

“São problemas que ocorrem nas eleições: dificuldade com algumas urnas eletrônicas que já estão sendo reparadas, algum problema setorial de boca de urna e nossa equipe de segurança já está sendo mobilizada para se deslocar para os locais onde há alguma indicação de abuso, de boca de urna... Então, até agora, o processo de votação no estado do Rio de Janeiro transcorre dentro da normalidade”, disse o magistrado.

Um balanço divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral aponta que 68 urnas apresentaram problemas e tiveram que ser substituídas no estado, a maioria na capital.

O TRE do Rio divulgou também algumas ocorrências de suspeita de compra de votos. Em uma delas, em Búzios, um cabo eleitoral foi preso com cerca de R$ 6 mil, junto com um papel escrito “boca de urna”. Ele fazia campanha para um candidato a prefeito.

Em outra ocorrência, em Santa Maria Madalena, um juiz eleitoral flagrou um cabo eleitoral com R$ 2 mil, fazendo campanha para candidatos a prefeito e a vereador no município.

A boca de urna e a compra de votos são crimes eleitorais. O voto é direito, não é mercadoria.