Convertida, Ângela Bismarchi lamenta excesso de julgamentos A exposição na internet é cada vez maior. As redes sociais viraram palco para mais entretenimento e também troca de insultos, já que todos estavam de quarentena e passaram a dedicar um tempo maior na internet. Além disso, muitos artistas se reinventaram e as lives tomaram conta das redes sociais. A apresentadora Ângela Bismarchi não ficou de fora dessa e começou uma série de lives com especialistas de diversos assuntos. Segundo a ex-musa do Carnaval, o intuito é tão somente levar informação e entretenimento para seus seguidores. Porém, como tudo na internet, esse aumento da exposição gerou críticas e julgamentos desnecessários. O principal motivo seria o fato de Ângela ter se convertido ao Evangelho.

"Lamento muito por essas pessoas que perdem tempo julgando e criticando outras na internet. Todo mundo tem uma vida por trás das redes sociais e ninguém tem direito de julgar tanto. Eu aproveitei esse momento de isolamento para levar aos meus seguidores um pouco de conhecimento e informação. Usar essa ferramenta para o bem”, declarou Ângela Bismarchi.

Ela, porém, não se deixa abater com os chamados “haters” (“odiadores”, em tradução literal), pessoas que se dedicam a espalhar ódio na internet, com comentários de intolerância, ironia e tudo o mais que destrói e desconstrói.

“Graças a Deus, sempre recebi muito carinho e comentários satisfeitos nas minhas lives, o que me incentiva a continuar fazendo, mas, sempre tem alguém querendo desanimar. Eu procuro ser bênção na vida das pessoas e coloco muito amor em tudo o que faço. As pessoas precisam tirar uma lição de tudo o que aconteceu em 2020, principalmente se colocar no lugar do próximo”, declarou.

Ângela, hoje, é formada em Teologia e se dedica aos princípios da vida cristã.