Rússia afirma que sua vacina apresentou 92% de eficácia em análise preliminar da fase 3

A Rússia anunciou nesta terça-feira (11) que as primeiras análises da fase 3 dos testes da vacina Sputnik V, contra a Covid-19, revelaram uma eficácia de 92%. Foram avaliados 20 casos confirmados de Covid-19 entre os mais de 16 mil voluntários que já participam dos testes e o cálculo da eficácia foi feito em cima da diferença entre o número de infectados que tomaram a vacina e os que tomaram o placebo.

Segundo o Instituto Gamaleya, que conduz o estudo, não houve até agora registro de evento adverso grave e os principais efeitos colaterais, como febre e dor local, foram de curto prazo. A análise, que é preliminar, ainda precisa ser publicada e revisada por outros cientistas. Os testes seguem acontecendo na Rússia e serão vacinados 40 mil voluntários, ao todo.

O país, inclusive, já iniciou a vacinação em caráter emergencial paralelamente aos testes, medida que foi criticada por especialistas e entidades científicas mundiais pelos riscos da realização simultânea de vacinação e testes.

Vacina russa no Brasil

O governo do Paraná assinou em agosto um convênio com a Rússia para fabricar e distribuir a Sputnik V no estado. A previsão é de começo para o segundo semestre de 2021.

O governo da Bahia é outro que firmou acordo com o Fundo Soberano da Rússia, que coordena os estudos no país, para o fornecimento de até 50 milhões de doses da vacina a partir da aprovação no Brasil, que só deve ocorrer após a conclusão da fase 3 dos testes.

Por último, a farmacêutica brasileira União Química fechou acordo com a Rússia em outubro para transferência da tecnologia a fim de fabricar a Sputnik V no Brasil. O processo, que geralmente leva seis meses, está sendo acelerado por conta da pandemia.

Sputnik V é a segunda com dados da fase 3

A vacina russa é a segunda a ter dados preliminares da fase 3 divulgados. Esse é último e decisivo estágio de desenvolvimento de uma vacina antes da aprovação. Na segunda-feira (09), a Pfizer divulgou que seu imunizante mostrou 90% de eficácia em análises preliminares.