Aulas online: prós e contras na vida de crianças e adolescentes

Além do isolamento social e do distanciamento físico, a pandemia do coronavírus trouxe profundas transformações para a rotina de crianças e adolescentes. Como toda a família foi impactada de uma forma diferente com a pandemia e com as aulas online, mas de maneira geral alguns sentimentos comuns tomaram conta das crianças e adolescentes, reforça a terapeuta familiar Evelyn Stam. Especialista em superdotação, Evelyn mora na Holanda há 10 anos e hoje ajuda famílias a superar as barreiras da comunicação e da adaptação cultural. 

Quais são os principais prejuízos causados pelas aulas online para a saúde física e mental dos estudantes?

Evelyn Stam: Em alguns deles foram observados sintomas depressivos, transtornos de ansiedade, fobias. Eles também passaram a ter distúrbios do sono, problemas alimentares e outros grupos de crianças podem piorar quadros de irritabilidade, de agressividade, dificuldade de lidar com regras.

E houve algum grupo que tenha sido favorecido pelas aulas online?

Sim. Outras crianças foram favorecidas pelo isolamento social, porque os pais ficaram em casa, estiveram mais presentes, a família ficou mais em contato um com o outro dentre seus integrantes, o que foi muito positivo.

Como a família deve ficar atenta para manter a saúde mental das crianças?

Se é uma criança que não tem nenhum problema de saúde mental, deve-se apenas manter o ritmo da casa, tranquilizar a criança, mostrar que essa pandemia é uma coisa temporária e que o adulto está ali e a criança não vai ficar sozinha.

Mas é importante lembrar que todos estão sentindo muito o reflexo da ausência social, que sem dúvida é o aspecto que mais está pesando, pois esta é uma situação que impede que tenhamos contato com outras pessoas que são importantes para o nosso desenvolvimento. Por mais dificuldade que uma criança pequena tenha de fazer relações e interações porque ainda está em uma fase de centração, é necessário o contato com os colegas justamente para 'cutucar' o desenvolvimento.

É possível uma criança ter um desenvolvimento mesmo longe da escola física?

A criança, como qualquer um de nós, está sempre em desenvolvimento. O que acontece é que neste momento, ela está recebendo outros estímulos por conta da ausência da escola. A escola estimula alguns aspectos do desenvolvimento que são importantes, mas quando a criança está em casa, com a família, também está se desenvolvendo, mas a partir de outros estímulos, ou seja, o desenvolvimento não deixa de acontecer.

Mas a aula à distância é suficiente para suprir as necessidades de aprendizado de uma criança?

O ensino online desenvolve algumas habilidades, nos coloca em contato com alguns instrumentos tecnológicos que nem sempre tivemos contato, faz com que a gente estabeleça outros propósitos e exige algumas questões. Vale lembrar que o jovem precisa ser muito disciplinado, assim como o adulto, caso contrário se dispersa muito fácil. Um grande problema observado é a grande dificuldade que os alunos têm em devolver as atividades propostas pela escola, afinal eles acabam se desinteressando.

Qual deve ser o papel dos pais nesta fase de aprendizado online?

Eles devem fiscalizar se as crianças estão assistindo às aulas, se não estão se distraindo com questões relacionadas à internet. Os pais precisam estar do lado, buscar caminhos para flexibilizar os horários de aula para que um adulto esteja do lado da criança, e mostrar que não está ali apenas para fiscalizar, mas também para ajudar, dar um apoio para a criança não ficar insegura ou com medo de que não vai dar conta do processo escolar. A escola deve colocar um professor sempre à disposição das famílias.