Antifa vandaliza igreja católica e ataca sem-teto Um grupo de mais de 100 manifestantes vestidos de preto vandalizou uma igreja católica em Portland, no Estado do Oregon, EUA. A igreja serve refeições regularmente e fornece abrigo para os sem-teto, e por conta do ataque foi forçada a suspender os serviços religiosos e todo o seu atendimento aos necessitados.

A Igreja de St. Andre Bassette no centro de Portland, que é conhecida por ajudar pessoas carentes na área, sofreu grandes danos após o violento ataque de quarta-feira (04), relatou o Post Millennial.

“O vídeo registrado pelas câmeras de vigilância mostra uma multidão de manifestantes, todos vestidos de preto, passando pela Igreja Saint Andre Bessette na West Burnside Street quando uma pessoa corre para uma porta e bate repetidamente no vidro com o que parece ser um martelo”, relatou KOIN 6. “Uma pessoa sem-teto dormindo na soleira da porta corre enquanto o vidro se estilhaça.”

O vídeo também mostra que, depois que o sem-teto foi forçado a fugir, manifestantes roubaram seu cobertor e os poucos pertences que ele tinha ao seu lado.

O padre Tom Gaughan disse que o edifício está comprometido por causa do vandalismo.

“As ações desses indivíduos nos forçaram a cessar nosso evangelismo e o atendimento às centenas de pessoas a quem normalmente damos comida, não somos capazes de continuar porque não sinto que minha equipe está segura”, disse o padre à imprensa local.

Ele acrescentou: “Pedimos as orações de todos pela paz em nossas ruas, e oramos por nossas irmãs e irmãos que estão nas ruas e abrigos. Porque o ato de uma pessoa nos impediu de sustentar centenas de pessoas ao longo de uma semana. ”

A polícia prendeu uma dúzia de pessoas e confiscou armas, incluindo armas de fogo.

Portland testemunha protestos de rua desde maio.

A governadora do Oregon, Kate Brown, respondeu ao vandalismo da igreja, dizendo: "Eles quebraram as janelas de uma igreja que alimenta os necessitados do Oregon, um negócio de propriedade de mulheres que arrecada dinheiro para os direitos dos imigrantes e das mulheres e muitas outras vitrines. Indiscriminado a destruição não resolve nada. "