Candidato a prefeito de Magé é investigado em ação do Ministério Público do RJ contra milícia

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), e a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), realiza operação nesta segunda-feira (09) para combater uma milícia que atua em localidades do Município de Magé, na Baixada Fluminense. O objetivo é cumprir dez mandados de prisão e 29 de busca e apreensão. Ao todo foram denunciadas 16 pessoas.

Segundo a denúncia, os alvos da operação integram uma milícia que possui dimensões consideráveis, atuando de forma setorizada, e instalando verdadeiro regime de terror em alguns bairros do município de Magé. As investigações apontam que os integrantes figuram como autores de homicídios e torturas ocorridos na região, com o intuito de “manter a ordem” e impor seu domínio territorial.

Praticam também furto de combustível, venda de cigarros, além de outras práticas ilícitas comuns ao atuar criminoso de milicianos, como a exigência do pagamento de "taxa de segurança" por comerciantes locais, a comercialização de cestas básicas, o exercício do monopólio de venda de gás de cozinha aos moradores, além da imposição de serviço clandestino de TV a cabo.

Entre os investigados está André Antonio Lopes do Nascimento, o Sargento Lopes, vereador pelo PSD no município e candidato a prefeito. Ele teve o celular apreendido. Lopes é PM reformado. As investigações apontam o envolvimento de três policiais militares da ativa

De acordo com a denúncia, o líder da milícia é André Cosme da Costa Franco, vulgo André Careca. Os outros integrantes da organização criminosa atuam como "braço armado", cobram a "taxas de segurança", fazem agiotagem, entre outros crimes. Todos eles foram denunciados por constituição de milícia. A denúncia foi recebida pela 1ª Vara Criminal Especializada da Capital, responsável por expedir os mandados a pedido do GAECO/MPRJ


Siga-nos