Tragédia em Mariana/MG completa 5 anos nesta quinta-feira (05)

Nesta quinta-feira (05) faz cinco anos que uma barragem de dejetos da mineradora de Mariana, Minas Gerais, se rompeu e varreu o distrito de Bento Rodrigues, causando a morte de 19 pessoas. A lama também poluiu o Rio Doce e chegou até o mar, pelo litoral do estado do Espírito Santo.

Ninguém foi julgado pelo crime ambiental até hoje. Apenas cinco das 21 pessoas denunciadas em 2016 seguem respondendo a processos na justiça mineira. O crime de homicídio foi retirado do processo no ano passado, e os acusados respondem por crimes de inundação e desmoronamento seguidos de morte, além de delitos ambientais. Quatro empresas são rés no processo. São elas: Vale, BHP Biliton e Samarco.

Uma força-tarefa foi montada para recuperar o Rio Doce, atingido pela lama e que teve sua biodiversidade muito comprometida. Mas segundo alguns integrantes, não houve avanços significativo nem na recuperação ambiental e nem na reparação humana. Fazem parte da força-tarefa, entre outros órgãos,  os Ministérios Públicos de Minas Gerais e do Espírito Santo.