Passageiros enfrentam dificuldades no primeiro dia de redução de viagens dos trens no Rio

Os usuários dos trens do Rio de Janeiro enfrentaram dificuldades hoje (05), no primeiro dia de redução de viagens e aumento de intervalos implementados pela Supervia. Passageiros alegam que plataformas e composições, já lotadas antes das mudanças, ficaram ainda mais cheias.

A principal alteração foi a redução de composições em circulação. Com isso, os intervalos foram ampliados em 2 minutos nos horários de pico em todos os ramais. Segundo a Supervia, a medida é para readequar a operação à demanda de passageiros, que caiu 40% durante a pandemia. Entretanto, quem pega trem todos os dias alega que os vagões já estavam cheios antes mesmo da mudança.

Nas redes sociais, usuários fizeram muitas reclamações sobre o serviço prestado pela Supervia e compartilharam registros da estação de Gramacho, no ramal de Saracuruna, completamente lotada no início da operação dos trens nesta quinta-feira. A concessionária alega que, mesmo com as alterações na grade, a taxa de ocupação das composições se manterá abaixo dos 60% exigidos pelo governo estadual.

A Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Rio de Janeiro) se pronunciou pelo Twitter e informou que “diante das mudanças implantadas pela SuperVia a partir desta quinta (5), a Agetransp intensificou a fiscalização nos trens. São verificadas as condições de atendimento aos usuários, o cumprimento dos intervalos e a lotação das composições, que não deve exceder 60% da capacidade”.