Cidade do Rio de Janeiro entra na última fase de flexibilização da quarentena

O prefeito Marcello Crivella anunciou nesta terça (03) que a cidade do Rio de Janeiro entrou no último estágio de flexibilização da quarentena previsto pelo município. A nova fase reduz as restrições nas praias, nas escolas e no comércio.

Está permitida a permanência dos banhistas nas areias das praias cariocas, além da presença de ambulantes do aluguel de guarda sol e cadeiras e da montagem de barracas, que devem manter uma distância de pelo menos 1,5 metro.

Essa fase também permite o retorno às aulas das escolas e creches particulares. A rede municipal de ensino deverá voltar de forma voluntária, ou seja, cada instituição vai tomar a decisão após reunião com pais e professores, se houver garantia de segurança para alunos e profissionais. Não há data para o retorno obrigatório.

O comércio passa a ter horário livre de funcionamento, precisando apenas respeitar os protocolos sanitários. Pistas de dança, música ao vivo e self-services também estão liberados e as mesas de lanchonetes, bares, quiosques, cafés, restaurantes, padarias e lojas de conveniência poderão ficar a 1,5 metro de distância, menos do que os 2 metros da fase anterior.

Outras medidas importantes são o aumento da capacidade das lojas para 2/3 do total; o retorno das visitas hospitalares e a permissão para eventos esportivos de rua, como corridas e provas de ciclismo.

Prefeito não acredita em segunda onda na cidade

Crivella informou que o Comitê Científico montado para orientar as decisões da prefeitura decidiu por unanimidade que a cidade poderia entrar nessa última fase de flexibilização, chamada de “período conservador”. Segundo o prefeito, as curvas de contágio estão controladas e “é remota, nas condições atuais, chance de uma segunda onda na cidade do Rio de Janeiro”.