Vacina da Johnson & Johnson contra a Covid-19 retomará testes no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou hoje (03) a retomada dos testes da vacina da Johnson & Johnson contra a Covid-19 no Brasil. O estudo, conduzido pela subsidiária Janssen-Cilag, estava suspenso no país desde o dia 12 de outubro, depois que um participante apresentou uma “doença inexplicada” nos Estados Unidos.

Depois de avaliar os dados do evento adverso e as informações do órgão americano para certificação de alimentos e medicamentos (FDA), a Anvisa considerou que "a relação benefício e risco se mantém favorável e que o estudo poderá ser retomado".

Segundo a Johnson, “eventos adversos, mesmo aqueles graves, são uma parte esperada de qualquer estudo clínico, especialmente grandes estudos”. A Anvisa se pronunciou nessa mesma linha, mas ponderou que "caso seja identificada qualquer situação grave com voluntários brasileiros, irá tomar as medidas previstas nos protocolos para a investigação criteriosa".

A pesquisa prevê a aplicação em 11 estados brasileiros, sendo que todos os voluntários do Rio de Janeiro já haviam recebido, ou a vacina ou o placebo (substância sem efeito de proteção), antes da paralisação.

Vacinas em teste no Brasil

O imunizante Ad26.COV2.S, da Johnson, é um dos quatro que estão em fase 3 de testes, a última antes da aprovação, no Brasil. Além dele, estão em testes vacinas da Universidade de Oxford, da farmacêutica chinesa Sinovac e da americana Pfizer.

Em setembro, as aplicações da vacina da Oxford também ficaram suspensos por cerca de uma semana, enquanto as autoridades avaliavam um caso de possível efeito adverso sentido por um participante da pesquisa.

Em outubro, um voluntário brasileiro do estudo morreu por complicações da Covid, mas as informações dão conta de que ele havia recebido o placebo.


Siga-nos