Vereador baleado no Rio de Janeiro confirma que foi vítima de homicídio O vereador e candidato Jair Barbosa Tavares, o Zico Bacana (Podemos-RJ) confirmou que foi vítima de uma tentativa de homicídio na noite de ontem (02). Ele foi baleado de raspão na cabeça em um bar em Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte do Rio, depois de um dia de campanha.

Apesar do ataque, Zico disse que não vinha sofrendo ameaças. Segundo testemunhas, por volta das 20h, os criminosos chegaram em dois carros e atiraram contra o vereador. Além dele, outras quatro pessoas foram baleadas — duas morreram. Um dos mortos era um dos criminosos que participaram da ação. A outra vítima era um cliente do bar, atingido por uma bala perdida.

Zico deu entrada no Hospital Carlos Chagas por volta das 20h30 e recebeu alta em torno das 00h45 desta terça-feira (03).

Por meio de nota na noite de hoje, a polícia disse que as investigações serão feitas pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC).

Ex-policial militar, o Zico Bacana, é citado na CPI das Milícias, da Alerj, como integrante do grupo organizado que atua nas favelas da Palmeirinha e da Eternit, em Guadalupe, na zona oeste do Rio.

De janeiro até agora, cerca de 75 brasileiros foram assassinados por motivações políticas. O Rio de Janeiro é o Estado com mais mortes políticas no país: foram 26 casos apenas neste ano. A atuação das milícias cariocas é um dos fatores que contribuiu para o número elevado de homicídios ao longo dos últimos anos.