A Reforma além de Lutero Hoje, o Dia da Reforma, os Cristãos Protestantes, especialmente os Luteranos, Presbiterianos e outras denominações Reformadas, celebram os fundamentos de suas distinções teológicas.

Data de 31 de outubro de 1517, quando um monge alemão chamado Martinho Lutero desencadeou uma tempestade de controvérsias que dividiu a Igreja Católica Romana e deu origem à Reforma Protestante.

A principal preocupação de Lutero: a prática da igreja de vender indulgências para arrecadar dinheiro para reconstruir a Basílica de São Pedro em Roma. Uma indulgência, simplesmente, era um pagamento que se acreditava ganhar o favor de Deus - um atalho para o céu.

Lutero achou isso especialmente chocante, assim como outros pontos de protesto, e escreveu uma carta de reclamação, mais comumente conhecida como suas “95 teses”, que postou na porta da Igreja de Todos os Santos em Wittenberg, Alemanha.

Sua intenção não era destruir a Igreja Católica, mas reformá-la.

Ele também não tinha a intenção de provocar uma revolução, mas havia despertado o apoio do povo - e a ira da hierarquia da Igreja, incluindo o Papa Leão X.

Quando Lutero foi ordenado a se retratar de suas declarações contra a igreja, ele se recusou, proferindo suas famosas palavras:

“A menos que eu seja convencido pelas Escrituras e pela razão clara, e não pelos papas e concílios que tantas vezes se contradizem, minha consciência está cativa à palavra de Deus. Ir contra a consciência não é certo nem seguro. Eu não posso e não vou me retratar. Aqui estou eu. Eu não posso fazer outra coisa. Deus me ajude."

Lutero não foi o único "reformador" da igreja. Outros incluem:

* John Wycliffe (1328-1384), da Inglaterra, ensinou que toda tradição, incluindo as decisões e doutrinas do conselho da igreja, deve ser testada pela Bíblia e que a Sagrada Escritura é a autoridade máxima para cada cristão.

* Ulrich Zwingli (1484-1531), da Suíça, baseou sua teologia em um único princípio: se o Antigo ou o Novo Testamento não diziam algo explicita e literalmente, nenhum cristão deveria acreditar ou praticar. Zwingli se opôs à crença comum de que os sacramentos detinham o poder de eliminar o pecado.

* William Tyndale (1494-1536), da Inglaterra, traduziu a Bíblia para o inglês. Ele acreditava que o caminho para Deus era por meio de Sua palavra e que as escrituras deveriam estar disponíveis até mesmo para “o menino que dirige o arado”.

* João Calvino (1509-1564), da França, entre outras realizações, estabeleceu a Academia de Genebra, a primeira universidade protestante. Ele é mais conhecido por sua ênfase na soberania absoluta de Deus.

* John Knox (1513-1572), da Escócia, chamado de “pai do presbiterianismo”, trouxe reformas para a igreja na Escócia. Knox ensinou a justificação pela fé apenas e uma vez pediu a execução de Maria, Rainha dos Escoceses.