Câmara inicia votação da reforma da Previdência nesta quarta-feira O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, decidiu encerrar mais cedo que o esperado a primeira sessão para discutir a reforma da Previdência no plenário da Casa. A votação ficou para esta quarta-feira (10). Ela deve ocorrer após a visita do presidente Jair Bolsonaro à Casa para participar da sessão solene de aniversário da Igreja Universal do Reino de Deus, que acontece pela manhã.

Ontem, por volta das 23h30, Maia anunciou que os debates continuariam por mais 30 minutos e, em seguida, os parlamentares votariam o encerramento da discussão. Assim, ficou para hoje o enfrentamento do chamado kit obstrução, conjunto de manobras da oposição para ganhar tempo e atrasar os trabalhos.

Com um quórum de 505 deputados no início dos trabalhos em plenário, a discussão da PEC começou ontem com clima tenso . A primeira tentativa da oposição para impedir que se desse prosseguimento ao debate da proposta foi mal sucedida. Por 331 votos a 117, os deputados rejeitaram requerimento do PDT para retirar de pauta a análise da PEC.

A PEC necessita de 308 votos, equivalentes a três quintos dos 513 deputados, para ser aprovada em dois turnos de votação. No último domingo (7), o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse acreditar ter 330 votos para a aprovação da reforma na Câmara dos Deputados.

Para a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), as novas regras de aposentadoria serão o alicerce para a reconstrução do Brasil. “[Trata-se de] uma Previdência justa, uma Previdência solidária, uma Previdência que atende aos mais pobres, uma Previdência que combate privilégios, uma Previdência que foi construída com a ajuda dos partidos aqui desta Casa”, argumentou. Todos nós caminhando para um único lugar: para o crescimento do Brasil, completou.