Polícia Civil faz buscas e apreensões no Cruzeiro A Polícia Civil de Minas Gerais cumpre na manhã desta terça-feira (09) mandados de busca e apreensão na sede administrativa do Cruzeiro e na Toca da Raposa em Belo Horizonte.

Há também cumprimento de mandado nas residências do presidente Wagner Pires de Sá, de Itair Machado, vice-presidente de futebol, e Sérgio Nonato, diretor-geral do Cruzeiro.

A operação é realizada pela Divisão Especializada de Investigação a Fraudes da Polícia Civil. A corporação ainda não confirmou se a operação desta terça-feira tem ligação com as investigações que começaram no ano passado.

O atual bicampeão da Copa do Brasil é investigado por suspeita de operações irregulares. A dívida do clube chega a R$ 500 milhões.

No fim de 2018, a Polícia Civil abriu inquérito para apurar irregularidades no clube. O inquérito se baseia em um balancete contábil analítico, que demonstra pagamentos feitos pelo Cruzeiro no decorrer do ano passado.

Há evidências de que a diretoria cruzeirense quebrou regras da Fifa e da CBF, no âmbito do futebol, e do governo federal, por meio do Profut, programa de renegociação de dívidas fiscais com clubes.