Bolsonaro cancela compra de vacina chinesa e diz que brasileiro não será O presidente Jair Bolsonaro determinou, nesta quarta-feira (21), o cancelamento da compra de 46 milhões de doses da vacina chinesa Coronavac. O acordo para a compra havia sido anunciado pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ontem (20) à noite após encontro com governadores.

Mais cedo, o presidente respondeu a um apoiador, numa rede social, que pedia para a compra da vacina não ocorrer, chamando a China de “ditadura”. Bolsonaro foi categórico ao responder que a vacina não será comprada.

O presidente disse, ainda, que não se justifica um aporte financeiro bilionário num medicamento que sequer ultrapassou sua fase de testagem.

Bolsonaro afirmou que em seu governo qualquer vacina, antes de ser disponibilizada à população, deverá ser comprovada cientificamente pelo Ministério da Saúde e certificada pela Anvisa.

Ele enfatizou que “nenhum brasileiro servirá de cobaia”.