Dia D de multivacinação acontece neste sábado (17) para crianças e adultos

O Dia “D” de mobilização nacional para a vacinação de crianças e adolescentes menores de 15 anos em todo país é no próximo sábado (17). Na data, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, estará presente em um dos postos de vacinação em Brasília (DF) para acompanhar a ação. Nesse dia, todos os esforços são concentrados na busca da conscientização da importância do ato.

A campanha de multivacinação e também de vacinação contra a poliomielite, promovida pelo Ministério da Saúde, segue até 30 de outubro com o conceito Movimento Vacina Brasil. É mais proteção para todos. Iniciada no dia 5 de outubro em mais de 40 mil postos de vacinação espalhados pelo Brasil, a campanha segue com o objetivo de atualizar a caderneta de vacinação e mobilizar a população para a importância de vacinar os brasileirinhos contra diversas doenças como sarampo, febre amarela, rubéola, caxumba, hepatites A e B, dentre outras.

“Essa campanha é uma oportunidade para atualizar a caderneta de vacinação. Os nossos postos estão adaptados, com todas as medidas de segurança. Vamos garantir a saúde e o futuro de nossos filhos, cobrindo e atualizando a caderneta de vacinação”, reforçou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, durante coletiva de imprensa on-line, nesta quinta-feira (15) em Brasília. Multivacinação



A multivacinação é uma estratégia que tem a finalidade de atualizar a situação vacinal de menores de 15 anos de idade. Serão ofertadas todas as vacinas do calendário nacional de vacinação da criança e do adolescente. Pais e responsáveis façam valer o direito dos seus filhos, busquem um serviço de saúde, mais próximo de sua casa para a avaliação da situação vacinal.

O desempenho será avaliado com base nas doses aplicadas e registradas no Sistema de Informação durante o período da campanha, para cada vacina disponível.

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) oferece atualmente 18 vacinas para crianças e adolescentes. Estados que necessitarem de reforço em estoques de vacinas poderão solicitar ao Ministério da Saúde. Poliomielite Cerca de 11 milhões de crianças de um ano a menores de 5 anos de idade devem ser vacinadas com a vacina oral poliomielite (VOP), desde que tenham recebido as três doses da vacina inativada poliomielite (VIP) do esquema básico de vacinação. A meta é vacinar pelo menos 95% das crianças.



Crianças até 11 meses e 29 dias deverão ser vacinadas conforme indicações do Calendário Nacional de Vacinação, com a VIP. Recomendações Covid-19 Para evitar o risco de transmissão da Covid-19 e garantir a segurança da população e dos profissionais, o Ministério da Saúde orienta que as ações de vacinação sejam realizadas conforme as recomendações sobre distanciamento social, uso de máscara, lavagem das mãos e uso de álcool em gel.



Situação epidemiológica da poliomielite



Com a realização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, o Brasil reafirma o compromisso internacional assumido de manter o país livre da doença. O Brasil não detecta casos desde 1990. Em 1994, recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) a certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem do seu território, juntamente com os demais países das Américas. Desde então, o país tem trabalhado para atingir a meta dos indicadores preconizados pelo Ministério da Saúde para manter o país livre da doença.

As coberturas vacinais municipais ainda são heterogêneas e pode levar a formação de bolsões de pessoas não vacinadas, possibilitando a reintrodução do poliovírus. Dessa forma, a realização da campanha tem como intuito reduzir o número de não vacinados e proteger a população contra a doença.



Atualmente, existem dois países endêmicos (Paquistão e Afeganistão). Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que foram registrados 125 casos da poliomielite, sendo 51 no Afeganistão e 74 no Paquistão, no período de 01 de janeiro a 06 de outubro de 2020.

O Ministério da Saúde alerta que tem crescido o número de pessoas não vacinadas nos últimos anos. Como consequência, doenças que já estavam eliminadas no Brasil voltaram a ser um problema para a saúde de todos, como o sarampo, por exemplo.

Queda na Vacinação



O Brasil possui o maior programa de vacinação do mundo. Entretanto, vem se observando uma queda na cobertura vacinal nos últimos anos. Em 2019 o Brasil contabilizou 7,7 milhões de não vacinados contra a Febre Amarela em crianças/adolescentes menores de 15 anos. Já a Hepatite B, na mesma faixa etária, contabilizou cerca de 24,8 milhões de não vacinados. Em adolescentes de 11 e 12 anos o número de não vacinados foi de 4,3 milhões para a vacina meningocócica. Quando se fala em vacinação contra HPV, somente 73,6% das meninas com idade entre 9 e 15 anos tomaram a primeira dose e o número diminui quando se fala na segunda, apenas 46% das meninas foram imunizadas. Já os meninos com faixa etária de 09 a 14 anos apenas 36,2% tomaram a 1º dose e 19,2% tomaram a 2ª dose da vacina.



*Ministério da Saúde