Esposa de pastor morto a tiros durante culto diz que sabia que alguém iria atrás dele Luana Marques, 22 anos, mulher do pastor Francisco Antônio dos Santos Marques, que morreu enquanto ministrava um culto na QS 11, no Areal, em Águas Claras, no Distrito Federal, contou à polícia que o marido respondia em liberdade por um assassinato cometido no passado.

A esposa contou que, em 2016, o casal se mudou para Brasília em busca de uma nova vida. "Ele matou um rapaz que estava envolvido com a ex-esposa dele para se defender", conta. Ela disse que, na época o rapaz o teria ameaçado.

Eles vieram para Brasília porque Francisco tinha familiares na cidade. "Aqui ele se converteu e fundamos juntos o ministério", relatou Luana. Mesmo assim, Francisco tinha certeza de que alguém do passado o procuraria.

"O pai do rapaz que morreu nunca deixou de procurá-lo. Ele tinha convicção que alguém ia atrás dele", acrescentou Luana em entrevista ao jornal Correio Braziliense.
Francisco deixa a esposa e um filho de 2 anos.

Francisco foi morto a tiros durante o culto matutino de domingo (04), em Águas Claras ( DF ). Até o momento, ninguém foi preso.

De acordo com a Polícia Civil, o pastor estava ajoelhado e orando quando foi atingido. Segundo as testemunhas, o autor dos disparos entrou no local e atirou nas costas da vítima. Uma mulher que também participava do culto foi baleada de raspão, no pé direito.

O caso foi registrado como homicídio e lesão corporal na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul).

Uma perícia já foi realizada no local e a mulher ferida foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML).