Outubro Rosa: Estado do Rio ilumina prédios públicos

Prédios públicos do Estado do Rio de Janeiro receberão uma iluminação especial a partir desta quinta-feira (1/10) em apoio à campanha Outubro Rosa, que tem o objetivo de conscientizar sobre a importância da prevenção a dois tipos de cânceres: o de mama e o de colo de útero.

Além da sede do governo, o Palácio Guanabara, em Laranjeiras, também receberão iluminação especial o estádio do Maracanã; o Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros, em Copacabana; o prédio do Detran-RJ, na Avenida Presidente Vargas, no Centro; e unidades da rede estadual de saúde

Nesta quinta, estarão iluminados de rosa o Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione, os hospitais da Mãe e da Mulher e as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) de Botafogo, Copacabana, Engenho Novo, Ilha do Governador, Irajá, Jacarepaguá, Maré e Tijuca.

O Outubro Rosa é um movimento internacional criado na década de 1990, inicialmente para conscientização sobre as medidas controle do câncer de mama. Mais recentemente, a campanha passou reforçar também os cuidados para evitar o câncer de colo de útero. A meta da campanha é disseminar informações sobre como é possível se precaver para reduzir o risco de contrair a doença.

- Queremos aproveitar esse momento para destacar, em especial, a situação do câncer do colo do útero. Trata-se de um agravo prevenível, mas que segue como o quarto tipo de câncer mais frequente em mulheres. Devemos incentivar a vacinação do HPV por meninas de 9 a 14 anos e de meninos dos 11 a 14 anos de idade, como forma de prevenção - afirma a médica Leila Adesse, coordenadora da área técnica de Saúde das Mulheres da Secretaria de Estado de Saúde.

Em relação ao câncer de mama, a médica enfatiza a importância da realização de exames preventivos que possibilitam um diagnóstico precoce da doença.

- É o segundo câncer mais frequente entre mulheres no Brasil. O acesso à informação atualizada e de fácil compreensão, bem como a garantia do acesso à mamografia de qualidade e o início do tratamento em tempo oportuno, são fundamentais para a redução da mortalidade das mulheres por essa causa - completa Leila.