Pastor surdo coordena projeto de tradução do Evangelho de João para Libras

Neste dia 23 de setembro é comemorado o Dia Internacional das Línguas de Sinais. A data foi instituída pela ONU quatro anos atrás, depois de um amplo debate e marca o aniversário de criação da Federação Mundial dos Surdos, Ong presente em mais de 100 países. Ela significa o nascimento de uma organização em defesa dos direitos, cujo objetivo é a preservação das línguas de sinais, da cultura das pessoas surdas e, principalmente, o respeito e a promoção do conhecimento e uso das línguas de sinais.

Em todo o mundo existem cerca de 500 milhões de surdos. Com exceção dos surdos dos EUA, eles são considerados um povo não alcançado pelo Evangelho de Jesus Cristo porque não têm uma Bíblia escrita em sua própria língua. Mas pelo menos aqui no Brasil isso já começou a mudar.

Nesta sexta-feira, 25 de setembro, às 20h, será lançado o primeiro livro da Bíblia Sagrada na Língua Brasileira de Sinais – Libras. O trabalho organizado pelo DOT Brasil permitirá aos mais de 10 milhões de brasileiros que possuem deficiência auditiva o acesso ao evangelho de João em Libras. O lançamento será on-line, pelos canais do DOT Brasil no Youtube e no Facebook.

O DOT, Deaf Owned Translation ou “Tradução Própria dos Surdos” é uma metodologia de tradução comunitária e colaborativa criada pela instituição norte-americana Missão Wycliffe Associates, que trabalha há mais de meio século com traduções bíblicas. Essa metodologia foi trazida para o Brasil em 2017, ensinada para representantes da comunidade surda (surdos e intérpretes) e agora está sendo colocada em prática em nosso país. Segundo o pastor Paulo Sérgio de Jesus, coordenador do projeto aqui no Brasil, o objetivo é incentivar o protagonismo surdo ao redor do mundo ao capacitar a comunidade surda para se engajar no desafio da tradução bíblica para sua própria língua. Paulo Sérgio, que também é surdo, falou com o Melodia News sobre este passo tão importante para a comunidade surda no Brasil.

Qual a importância da Língua Brasileira de Sinais (Libras)?  

Pr. Paulo Sérgio: A Língua Brasileira de Sinais (Libras) foi implementada no Brasil de acordo com a Lei 10.436 de 24 de abril de 2002. Libras é uma língua com estrutura gramatical própria. Os sinais, gestos e expressões faciais e corporais são imprescindíveis e a organização das ideias tem uma sequência própria, diferente do português.

E porque traduzir a Bíblia para Libras?

A Bíblia é o livro mais vendido da história e também o mais traduzido ao redor do mundo, cerca de 2.800 línguas orais e escritas. Já as línguas de sinais são conhecidas hoje por cerca de 400 línguas. Mas apenas uma delas (a norte-americana) tem toda a Bíblia traduzida.  É direito dos surdos no Brasil ter acesso aos textos sagrados em sua própria língua.

Como a tradução do livro de João se tornou viável?

A missão Wycliffe Associates viabilizou os primeiros cinco encontros do projeto, ensinou a metodologia e doou equipamentos de vídeo como estúdios, câmeras e computadores para edição. Hoje, o Projeto DOT Brasil depende de parceiros internacionais, instituições e igrejas parceiras no Brasil.

Como os surdos terão acesso a este material em vídeo?

Todo o material traduzido pelo projeto DOT será distribuído gratuitamente por canais próprios – site, youtube e um aplicativo que está sendo desenvolvido.

Quantas pessoas estão envolvidas neste projeto e como foram selecionadas?

Quase 100 pessoas estão envolvidas direta ou indiretamente no projeto. Temos equipes de intercessão, logística, administração, mobilização, tradução, validação do texto, edição de imagem, comunicação etc.

Como o senhor atua neste projeto?

Sou o coordenador nacional surdo. Atuo nas áreas de tradução, validação do texto, criação de sinais bíblicos que ainda não existem em libras e pastoreio da equipe surda.

Quanto tempo investiram na produção deste trabalho?

O Evangelho de João foi produzido em cerca de 6 meses, passando por todas as etapas: tradução, validação, regravação e edição,  com a equipe trabalhando sistematicamente de 12 a 20 horas por semana. Mais de 20 pessoas entre surdos e intérpretes, teólogos, gramáticos e técnicos participaram do evangelho de João.

Alguns teólogos consideram os surdos um povo não alcançado. O que os levam a esta afirmação?

Os surdos são um dos oito segmentos menos evangelizados do nosso país, como os ribeirinhos, indígenas, ciganos, mais ricos dos mais ricos, mais pobres do mais pobres, refugiados etc. Esse é um momento muito importante para a comunidade surda brasileira. Está havendo um claro despertamento da igreja para a causa dos surdos e os próprios surdos estão se envolvendo com a tradução da Bíblia para Libras.

Quais as dificuldades que a equipe enfrentou até o resultado final desta tradução?

Essa é uma nova metodologia de tradução. Tudo é novo, cada passo, cada avanço vai sendo analisado, estudado e adaptado. São inúmeros desafios. Tivemos que adaptar o trabalho remotamente, durante a pandemia, para não deixar a tradução parar. Outro grande desafio é conseguir parceiros no Brasil. O projeto precisa de apoio financeiro para ter mais surdos e intérpretes participando diariamente de forma ministerial.

Como espera que as igrejas reajam a esta conquista e como deverão utilizar esta importante ferramenta?

As igrejas e ministérios com surdos poderão utilizar de várias formas. Exemplos: projetar o texto bíblico para os surdos durante os cultos, utilizar o texto bíblico em estudos e pequenos grupos com os surdos, surdos utilizarem nos seus momentos devocionais...

Há espaço para mais intérpretes de Libras neste projeto?

Sim! Quanto mais equipes de tradução e validação, mais rapidamente teremos toda a Bíblia traduzida. Para participar os surdos e intérpretes precisam ser bilíngues, ter tempo para dedicar de 12 a 20 horas por semana ao trabalho. Todos são treinados na metodologia DOT e trabalham de forma comunitária e participativa.

Existe a possibilidade de traduzir toda a Bíblia? Quando isso poderia ser alcançado?

Quando tivermos pelo menos cinco equipes de tradução no Brasil, conseguiremos terminar a tradução da Bíblia em cerca de 5 anos (2 anos para terminar o Novo Testamento e 3 anos para o Antigo Testamento).  

Qual a sua expectativa para este dia do lançamento do Evangelho de João em Libras e como o público poderá acompanhar?

Nossa expectativa é ser um momento de louvor e gratidão a Deus por tudo o que Ele tem feito em favor da tradução da Palavra para Libras, um momento de alegria de todos os que participam do projeto e esperam há tanto tempo pela tradução. O público poderá acompanhar pelos canais DOT pelo Youtube e pelo Facebook.

Viva em comunhão com os surdos

A desinformação cria vários mitos e um dos maiores é de que os surdos, uma vez na escola, compreendem perfeitamente o português. Pesquisas mostram que cerca de 80% dos surdos apresentam problemas de alfabetização e dificuldade para ler e escrever nas línguas escritas. Além de ser uma língua oral, o Português não é a primeira língua (L1) ou a “língua do coração” dos surdos. Do ponto de vista linguístico, eles podem ser considerados “estrangeiros” no seu próprio país.

Outro fato que é importante saber é que o termo surdo-mudo é incorreto e nunca deve ser usado. A pessoa ser deficiente auditiva não significa que ela seja muda. A mudez é uma outra deficiência e é raro ver as duas acontecendo ao mesmo tempo. A realidade é que muitos surdos, por não ouvirem, acabam não desenvolvendo a fala.



Para conhecer mais sobre a tradução bíblica própria dos surdos, acesse aqui.