Damares quer tirar do ar filme da Netflix acusado de erotizar crianças Uma onda de boicotes atinge a Netflix após o lançamento do filme “Lindinhas”, acusado de sexualizar crianças de apenas 11 anos. Na última semana, as hashtags #CancelNetflix e #Pedoflix foram os assuntos mais comentados no Twitter.

O assunto chegou até o gabinete da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, que pretende proibir a produção francesa aqui no Brasil.

“Estou brava, Brasil! Estou muito brava! É abominável uma produção como a deste filme. Meninas em posições eróticas e com roupas de dançarinas adultas. Não neste país, Netflix! No Brasil não! Quero deixar claro que não faremos concessões a nada que erotize ou normalize a pedofilia! Quero aproveitar e dar um recado aos pedófilos que por anos têm vindo ao Brasil abusar de nossas crianças: no Brasil existe um governo que se importa de verdade em proteger as crianças e as famílias”, escreveu Damares em suas redes sociais.

Assinantes da plataforma já não estavam felizes com o filme mesmo antes de seu lançamento. Lindinhas tinha sido exibido no Festival de Sundance este ano e agradado boa parte do público, o que fez a Netflix se interessar e adquirir os direitos do longa para distribuí-lo em todo o mundo. Sendo assim, a empresa lançou outro pôster promocional do filme, que foi acusado de sexualizar as crianças na imagem. Após as críticas, o material foi tirado do ar, porém a situação piorou após a chegada do título à plataforma.

A trama gira em torno de Amy, uma garota de 11 anos, que "começa a se rebelar contra as tradições conservadoras de sua família quando fica fascinada por uma turma de dança de espírito livre", diz a sinopse oficial.

As críticas direcionadas à Netflix variam entre o filme ter classificação etária para usuários maiores de 16 anos, além do termo "conteúdo sexual" nas palavras-chave do título no catálogo. Para piorar, há uma cena em que uma dançarina (maior de idade) mostra o seio em um clipe que as meninas de 11 anos assistem no celular.

Além das hashtags nos trending topics, um abaixo-assinado foi criado no Change.org pedindo para que as pessoas cancelassem a assinatura da Netflix.

O que a Netflix diz
Após o lançamento do título na plataforma na última quarta-feira (9) e os diversos comentários e pedidos de boicote nas redes sociais, a Netflix emitiu um pronunciamento à revista Variety pedindo para que as pessoas assistam ao filme. "Lindinhas é um comentário social contra a sexualização de crianças", declarou um porta-voz à revista norte-americana. "É um filme premiado e uma história poderosa sobre a pressão que as jovens enfrentam nas redes sociais e da sociedade em geral - e encorajamos qualquer pessoa que se preocupa com essas questões importantes a assistir ao filme."

No entanto, uma busca rápida pelo nome do filme no Google já traz várias imagens de meninas em poses sensuais e roupas mínimas.