Mais de 10 mil igrejas brasileiras oram em favor da Igreja Perseguida Hoje (13) acontece o Domingo da Igreja Perseguida (DIP) 2020, um movimento nacional de oração pelos cristãos que são perseguidos por causa da fé em Jesus. Nesta edição, a iniciativa do Irmão André, da missão Portas Abertas, vai mobilizar a intercessão de mais de um milhão de irmãos e irmãs no Brasil, em todos os 27 estados da federação.

As 10.335 igrejas participantes receberam materiais informativos sobre a realidade dos cristãos ex-muçulmanos, desde que o tema do DIP 2020 foi lançado. Hoje eles estão comprometidos em clamar ao Senhor para proteger, fortalecer e encorajar os discípulos de Jesus que estão sob a opressão islâmica.

O extremismo islâmico não é mais um problema apenas do Oriente Médio, já que os jihadistas atuam também em boa parte da África e Ásia. O resultado dos constantes conflitos são os altos índices de violência e de pessoas deslocadas pelos países em busca de um lugar seguro para sobreviver. Porém, quando uma conversão acontece dentro de uma família muçulmana, o novo seguidor de Jesus passa a ser perseguido pelos próprios familiares. É comum que os cristãos ex-muçulmanos sejam agredidos e até mortos, pois são vistos como traidores da fé islâmica. Em outras situações, perdem os empregos e são boicotados nos negócios.

Quando as mulheres muçulmanas têm um encontro com Jesus, a situação delas fica ainda mais delicada, pois enfrentam agressões físicas e verbais, são expulsas da família, perdem a guarda dos filhos e são forçadas a se divorciar. Mas em casos onde a jovem cristã ainda é solteira, muitas são obrigadas a casar com homens muçulmanos e impedidas de sair de casa. Apesar de tantos desafios, há uma igreja que sobrevive à perseguição e cresce no conhecimento de Jesus. Muitas vezes, ela é secreta e silenciosa, mas tem as raízes fortes para permanecer firme apesar da oposição.

DIP 2020 mesmo na pandemia de Covid-19

Neste cenário de dificuldades também surgiu a Covid-19, que atingiu ainda mais forte os cristãos refugiados e expôs a vulnerabilidade de milhares de seguidores de Jesus ao redor do mundo. Essa pandemia alterou também as agendas de instituições como a Portas Abertas e, por isso, a data do DIP 2020 foi alterada. Logo, as mudanças também aconteceram na maneira em que as igrejas vão se reunir, pois muitas estão em quarentena. A solução foi fazer parte desse movimento de oração via internet, adaptando todos os materiais de apoio e comunicação para meios digitais.



*Portas Abertas