Flordelis ameaça processar quem a chamar de assassina

Em vídeo que circula nas redes sociais, a pastora e deputada federal Flordelis dos Santos de Souza ameaça processar quem a chamou de assassina. Ela foi denunciada na Justiça pelo Ministério Público como a mandante do assassinato do marido, Anderson do Carmo.



“Ok, meu amor! Euzinha aqui não vou ficar mais calada!”, grita Flordelis no vídeo. “Eu tenho todos os prints (…) Me chamou de assassina sem ter me visto com uma arma atirando, eu tenho seu print”, continua a pastora. “Tudo isso, através dos meus advogados. Olha que chique! Meu advogados, no plural”, ameaça Flordelis. 



Uma cópia do vídeo foi publicado pelo jornalista William De Lucca, que é pré-candidato a vereador em São Paulo.



Nos últimos dias Flordelis teve grandes motivos para se desesperar. Desde que foi denunciada como mandante do crime, ela tem visto a decadência das suas igrejas. Também já perdeu o contrato com a gravadora MK Music. E agora enfrenta o risco de perder o mandato de parlamentar. Mais do que a única função ainda capaz de lhe render lucros, o mandato é também o que ainda a mantém em liberdade. Ao se tornar ré por ser mandante da morte do marido, Flordelis só não teve a prisão pedida à Justiça por ter imunidade parlamentar, uma prerrogativa prevista na Constituição Federal. Caso perca o cargo de deputada, a ida da pastora para a cadeia será iminente.



Na última semana, teve início o processo disciplinar contra ela na Corregedoria da Câmara dos Deputados. Depois de duas tentativas frustradas, a parlamentar foi notificada na última quarta-feira para apresentar sua defesa em um prazo de cinco dias úteis, que pode ser prorrogado por igual período.



O processo contra Flordelis ainda é longo. Após a apresentação da defesa da deputada, a corregedoria vai encaminhar um relatório com seu parecer sobre o caso à Mesa Diretora da Casa. O relatório terá que ser aprovado, e só então vira uma representação e será enviada à Comissão de Ética e Decoro Parlamentar. Nela, terá que passar por nova aprovação para, apenas em seguida, ser encaminhado ao plenário. Só então haverá a votação final que decidirá o destino de Flordelis.