Juiz impede megaigreja de realizar cultos presenciais

Uma megaigreja que desafiou as ordens de saúde pandêmicas do Condado de Los Angeles deve parar de realizar os cultos de domingo em ambientes fechados, sob a decisão de um juiz proferida na quinta-feira (10).

O juiz da Corte Superior do Condado de L.A., Mitchell Beckloff, apoiou as autoridades de saúde pública, que entraram com uma ação legal no mês passado para fazer cumprir as ordens de saúde contra a “Grace Community Church”, uma congregação evangélica em Sun Valley que realiza cultos de adoração em ambientes fechados desde 26 de julho.

“Embora o tribunal esteja ciente de que não há substituto para a adoração em ambientes fechados no 'refúgio espiritual' de um santuário, o tribunal não pode ignorar que a Ordem de Saúde do Condado não impõe a proibição do culto”, escreveu Beckloff em sua decisão que concedeu o pedido do condado para uma liminar.

O pedido permanece em vigor até que a questão seja resolvida.

A ordem autoriza serviços ao ar livre - que já eram permitidos pela ordem de saúde pública do condado - apenas se a igreja seguir medidas de distanciamento físico e cobertura facial.

A igreja vai apelar da decisão, de acordo com o advogado Charles LiMandri, que disse que o tribunal não considerou adequadamente as evidências que mostram casos de Covid-19 em declínio.

LiMandri, que trabalha para a Thomas More Society, um escritório de advocacia com sede em Chicago que aceita casos de liberdade religiosa, disse que o apelo acabaria por justificar o direito da Igreja ao livre exercício da religião. O tribunal, disse ele, não deu “a devida consideração ao fato de que as igrejas têm sido tratadas como cidadãos de segunda classe em comparação com dezenas de milhares de manifestantes”, disse LiMandri, referindo-se aos protestos neste verão nos EUA que ocorreram em grande parte do lado de fora.

Funcionários do condado disseram em um comunicado que foram aos tribunais “somente depois que esforços significativos para trabalhar com os líderes da Grace Community Church para proteger a saúde pública”.

“Os serviços religiosos são fundamentais para a vida de muitos dos nossos residentes, especialmente nestes tempos difíceis, e os serviços foram permitidos online e ao ar livre com distanciamento físico e o uso de coberturas faciais, e podem continuar a fazê-lo”, disseram funcionários em um comunicado. “O problema é um lembrete de que todos devemos trabalhar juntos e modificar nossas atividades para conter e retardar esse vírus, que causou a morte de mais de 6.000 residentes do condado de Los Angeles e deixou milhares de outros gravemente doentes.”