Megaoperação prende milicianos no Rio A Operação Salvator da Polícia Civil faz, nesta quinta-feira, uma megaoperação em vários pontos do Rio, Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Rio Bonito para cumprir 74 mandados de prisão contra um grupo paramilitar ligado ao ex-PM e miliciano Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica —preso desde outubro de 2017. Até o momento, 42 mandados de prisão foram cumpridos (25 contra pessoas que já estavam presas).

O bando, que inclui advogados e PMs, é acusado de aterrorizar moradores e comerciantes em Itaboraí há cerca de um ano e meio, obtendo lucro mensal de R$ 500 mil.

Dentre os presos está o principal alvo da ação, o sargento da PM Fábio Nascimento de Souza, conhecido como China. Lotado na UPP Borel, o agente foi encontrado em casa, em Rio Bonito, e uma pistola calibre 380 que estava com ele foi apreendida.

O ex-PM Alexandre Louback Geminiani, o Playboy, pulo do quarto andar do apartamento onde mora, em Niterói, e conseguiu escapar da polícia. Uma mulher apontada como companheira dele foi detida no local.

O delegado Antônio Ricardo Nunes, chefe do Departamento Geral de Homicídio e Proteção à Pessoa (DGHPP), disse que será implacável com esses criminosos".

Dentre os procurados nesta quinta estão ainda os autores da chacina que deixou 10 mortos no dia 20 de janeiro em Itaboraí e São Gonçalo.

Os milicianos estariam por trás de diversas mortes e desaparecimentos em Itaboraí. Em um primeiro momento, os desafetos do grupo eram mortos e seus corpos deixados à mostra. Por conta das diversas investigações da DHNSGI, o bando passou a matar e desaparecer com os corpos. Alguns milicianos se passavam por policiais civis para praticar os crimes.

"Uma das vítimas foi mutilada, tiraram o coração dela, chegaram a tirar a cabeça e isso demonstra que eles tinham um requinte de crueldade", conta o delegado responsável pelas investigações, Gabriel Poiava Martins conta, sobre uma morte que aconteceu há cerca de três meses. "Alguns deles (dos milicianos) foram indiciados e presos também por crime de tortura".