Pastor denúncia policiais por crime de racismo contra sua filha O pastor e missionário Matheus Peixe, morador de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio de Janeiro, gravou um vídeo nas redes sociais para denunciar dois policiais militares que teriam cometido crime de racismo contra sua filha, de 21 anos.

Segundo o pastor, os agentes do 11º BPM, que atuam no município , não acreditaram que o celular que estava com a moça, uma jovem negra, era dela. Os policiais alegavam que o aparelho era roubado, mesmo sem ter provas de nada.

Segundo Matheus, a abordagem policial ocorreu enquanto sua filha caminhava pela comunidade do Cordoeiro, na última semana.

Matheus ainda conta que os agentes foram agressivos com a jovem e a revistaram, indagando "de quem você roubou esse celular?".

O pastor e missionário ainda contou que ele tinha acabado de comprar o celular em algumas prestações no cartão de crédito. Os agentes acusaram a jovem sem ter prova alguma de que ela estava fazendo algo ilegal ou de que o celular era roubado. 

A filha de Matheus, inclusive, teve que comprovar, através de recibos na internet, que o aparelho havia sido comprado por seu pai.

Após o vídeo viralizar nas redes sociais, os agentes da PM entraram em contato com Matheus e pediram desculpas pelo ocorrido. "Foi muito educado, prestando inclusive a empatia, o sentimento pelo ocorrido, e dizendo que isso não é uma postura da corporação e me convidando a levar isso a frente, no sentido de trazer a investigação à tona", contou o pai da jovem em outro vídeo.

Matheus denunciou o caso no batalhão em questão e, agora, ele ora para que o caso seja solucionado e que sua filha não passe mais por essa triste situação.

"Quero que com tudo isso, a agente pense sobre a maldade do ser humano. Aqueles caras que fizeram aquela abordagem, que fazem tantas outras em outros lugares, são tão pecadores quanto eu, como você, mas a gente não deve silenciar diante do mal", disse ele.

Em nota, a Polícia Militar informou que o comando do 11º BPM "determinou imediatamente a instauração de um procedimento para apurar as circunstâncias do fato" assim que os agentes tomaram ciência do vídeo feito por Matheus relatando o caso em suas redes sociais. 

"A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar esclarece que a corporação, como tem demonstrado ao longo de sua história, não compactua e pune com o máximo rigor desvios de conduta cometidos por seus membros", dizia o final da nota da PM.