Prefeitura do Rio diz que não fechou leitos de UTI

O número de leitos especializados no tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus na rede municipal do Rio de Janeiro é maior do que a demanda por internações para tratamento da doença, segundo informações divulgadas na tarde desta terça-feira (08) pela Secretaria Municipal de Saúde. A pasta informou que a rede municipal possui 881 leitos para Covid-19. Deste total, 251 são leitos de UTI.

Quanto aos leitos de UTI, a secretaria explicou que houve um pequeno aumento na taxa de ocupação devido à retirada de leitos (do sistema de regulação) do hospital de campanha do Parque dos Atletas, que está em processo de desmobilização para encerramento das atividades. Outra razão é a internação precoce de pacientes nesse tipo de leito. Como há disponibilidade de leitos, pacientes com maior risco de agravamento têm sido priorizados nos leitos de cuidados intensivos.

A taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 na rede SUS – que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais – no município é de 81%. Já a taxa de ocupação nos leitos de enfermaria é de 60%.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio ressaltou que a rede não fechou nenhum leito de UTI.

Hospitalizações

Nas unidades da rede municipal, há 521 pacientes internados, sendo 211 em UTIs.

A rede SUS na capital tem 853 pessoas internadas em leitos especializados, sendo 381 em leitos de UTI.

Não há fila de espera, pois há leitos para todos os pacientes inseridos no sistema de regulação.

Em toda a rede SUS da Região Metropolitana 1 – que engloba a capital e municípios da Baixada Fluminense – 35 pessoas estão em processo de transferência para leitos de Covid-19. Deste total, 7 são para UTI.