Ex-obreiro diz à polícia que Flordelis atraía homens para casa

Depois de mais de um ano de investigações sobre a morte do pastor Anderson do Carmo, a polícia acabou descobrindo outros tipos de acusações contra a deputada federal Flordelis, acusada de mandar matar o próprio marido. 



Nesta quinta-feira (03), o jornal ‘Extra’ obteve acesso ao depoimento de uma das testemunhas, que afirmou que Flordelis costumava atrair fiéis para sua casa para manter relações sexuais com ela.



Um homem de 48 anos, morador da favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, prestou depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) sobre o período em que era frequentador do Ministério Flordelis.



As revelações em nada condizem com o comportamento que a pastora demonstrava em público e que a tantos enganou. 



De acordo com os depoimentos, o homem era “obreiro” da igreja, na época em que ela funcionava no bairro do Rocha, na Zona Norte, e também frequentava a casa da família. Flordelis e Anderson já eram casados neste período. O fiel contou que, depois de um tempo convivendo com a família, passou a perceber o que chamou de “atividade incomum”.



O homem relatou que foi seduzido pela parlamentar em duas ocasiões, embora tenha negado que manteve relações sexuais com ela. Em uma das vezes, durante uma viagem para uma reunião de pastores, ele afirmou que foi convencido por Anderson a ficar no mesmo quarto que Flordelis. Em seu depoimento, a testemunha disse que a pastora se “insinuou sutilmente para ele”.



De acordo com a testemunha, a parlamentar sempre deixava claro que era o “centro das honras da família”, que deveria ser venerada, e que suas ordens deveriam ser respeitadas. 



Ele ainda contou sobre uma ocasião em que teria presenciado uma reunião na qual foi colocado em pauta, de forma muito sutil, um plano para “eliminar” um pastor que estaria atrapalhando a igreja dela. No entanto, ele não fala se algo chegou a ser executado.



Ao fim do depoimento, o homem destacou que destacou que a percepção que tem atualmente é a de que Flordelis e sua família participam de uma seita, que só tem fachada de congregação religiosa, mas não é nada parecida com “aquilo escrito na Bíblia”.