Material didático online de SP volta a ter menção à Era Cristã Após repercussão nacional, as versões online dos livros didáticos da rede estadual de ensino de São Paulo voltaram a ter as nomenclaturas a.C/d.C (“Antes de Cristo” e “Depois de Cristo”).

No começo da semana, pelas redes sociais, o deputado estadual Gil Diniz (PSL-SP), chegou a acusar o governo Dória de “preconceito religioso contra cristãos”, porque os materiais didáticos distribuídos aos estudantes da rede estadual de ensino em São Paulo foram alterados em sua versão online, de onde foram suprimidas as menções aos períodos Antes de Cristo” e “Depois de Cristo, dando lugar aos termos designam a passagem histórica “Antes da Era Comum” e “Era Comum”.

A polêmica começou quando uma professora explicou, durante uma aula online no Centro de Mídias São Paulo, mantido pela própria Secretaria Estadual de Educação, as razões para a atualização dos termos, considerados mais neutros.

Diniz compartilhou um trecho do vídeo dizendo que a Secretaria Estadual da Educação “só pode estar de brincadeira”. “A verdade é que não suportam ouvir o nome de Cristo e usam veladamente do seu preconceito religioso contra cristãos!”

Os termos a.E.C/E.C constam nos livros impressos já entregues aos estudantes, mas, após saírem do ar por algumas horas, os materiais online reapareceram com a antiga nomenclatura.

No dia 1º de setembro, o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares da Silva, assinou uma nota explicando que os termos a.C. e d.C. (depois de Cristo) são o padrão para construção dos materiais didáticos, assim como nos livros paradidáticos e de literatura.

Rosieli disse na nota que a explicação feita pela professora sobre a mudança durante a aula online “não representa uma diretriz da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo”.

Ele prometeu ainda reforçar a posição com a equipe da secretaria. O vídeo, em todo caso, saiu do ar.

O recuo acontece cerca de um ano depois de o governador João Doria (PSDB) mandar recolher materiais em que aparecia a expressão “identidade de gênero” em um box explicativo no caderno do aluno.