Ministério da Saúde lança campanha para reforçar importância do tratamento precoce do coronavírus Sentiu febre, dor de cabeça, cansaço ou perda de olfato e de paladar? Procure atendimento assistência médica imediatamente. Essa é a orientação do Ministério da Saúde aos cidadãos no combate à Covid-19. A pasta tem realizado ações nas redes sociais para reforçar a importância do tratamento precoce da doença, com a hashtag #Não espere.

A procura pelas unidades de saúde deve acontecer assim que surgirem os sintomas, mesmo que sejam leves. Ao longo da pandemia, evidências médicas demonstraram que a demora pela busca de atendimento pode agravar os casos, que dificulta a reversão do estado clínico do paciente.

“É fundamental que a população saiba que nós só vamos ganhar essa guerra quando todos procurarem atendimento médico logo após os primeiros sintomas. Essa informação vai salvar muitas vidas”, afirmou o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello.

O tratamento precoce comprovadamente aumenta as chances de recuperação e diminui a ocorrência de casos mais graves e, consequentemente, o número de internações. A nova diretriz busca adequar o atendimento às melhores evidências médicas e evitar as mortes relacionadas à doença.

Confira abaixo todos os sintomas de coronavírus:

Tosse
Febre
Coriza
Dor de garganta
Dificuldade para respirar
Perda de olfato
Alteração do paladar
Náuseas, vômitos e diarreia
Cansaço
Diminuição do apetite
Falta de ar

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra por meio de contato próximo, através de aperto de mão, gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro e de objetivos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, talheres, maçanetas, brinquedos e teclados de computador.

COMO SE PROTEGER
Lave as mãos com frequência com frequência com água e sabão ou higienize com álcool em gel 70%;
Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo;
Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção fácil com as mãos não higienizadas;
Se tocar olhos, nariz, boca ou a máscara, higienize as mãos;
Mantenha distância mínima de um metro entre pessoas em lugares públicos e de convívio social;
Evite abraços, beijos e apertos de mãos.
Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outros objetos de uso frequente;
Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos;
Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados;
Evite circulação desnecessária em lugares públicos;
Se estiver doente, evite contato próximo com outras pessoas;
Busque orientação pelos canais online disponibilizados pelo SUS ou atendimento nos serviços de saúde;
Use máscara em todos os ambientes.