Advogado de pastor Anderson do Carmo pede afastamento de Flordelis da Câmara dos Deputados O advogado da família do pastor Anderson do Carmo, morto a tiros dentro de casa em junho do ano passado, encaminhou uma petição, na última quinta-feira (27), ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Ângelo Máximo pede o afastamento da deputada federal Flordelis, acusada de ter sido a mandante do crime.

O advogado também associa na petição as mortes da irmã e da mãe do pastor ao assassinato de Anderson. Michele do Carmo de Souza, de 39 anos, morreu em outubro do ano passado em decorrência de uma leucemia. Já Maria Edna do Carmo, de 65 anos, morreu em abril deste ano em razão de um infarto.

Máximo disse que o afastamento da deputada poderá agilizar o processo porque evitará que ela, como parlamentar, atrapalhe as investigações.

Rodrigo Maia disse que vai retomar nesta semana os trabalhos da Comissão de Ética da Câmara, que estavam suspensos desde o início da pandemia.

Caso Flordelis perca realmente o mandato, terá como suplente na Câmara o ex-deputado estadual Pedro Augusto, do PSD, que é alvo da Operação Furna da Onça por “movimentações suspeitas de dinheiro”.

Além de primeiro substituto da deputada federal, que pode perder seu assento no Parlamento, Pedro Augusto, conhecido como o “romeiro de Aparecida”, é apresentador de um popular programa de rádio voltado à comunidade católica.