Mãe morre ao tentar proteger filho em meio à troca de tiros entre traficantes Os confrontos entre traficantes iniciados na noite de ontem (26) no Complexo de favelas de São Carlos, na região central do Rio de Janeiro, já deixou vítimas. Segundo a Polícia Militar, o policiamento nos bairros de Catumbi, Estácio e Rio Comprido está reforçado devido a um “intenso confronto entre criminosos rivais”. Ana Cristina da Silva, de 25 anos, estava indo trabalhar e levava o filho de 3 anos quando os dois ficaram no meio do tiroteio. Ela foi atingida por dois tiros de fuzil, um na cabeça e outro na barriga.

O Corpo de Bombeiros disse que Ana Cristina foi baleada por volta de 19h de ontem (26) e que, após receber um chamado para atendê-la, agentes não conseguiram chegar ao local por conta do tiroteio.

“Na noite de quarta-feira (26), grupos criminosos entraram em confronto nesta área central da cidade do Rio. Três pessoas feridas deram entrada no Hospital Municipal Souza Aguiar (HMSA), onde uma delas faleceu”, informou a Polícia Militar.

Segundo a PM, os criminosos atacaram policiais do 5º Batalhão no cerco do Catumbi e do Batalhão de Choque na região das comunidades Mineira e São Carlos, onde os agentes reagiram.

Dois indivíduos foram levados feridos para o hospital Souza Aguiar e um policial do Choque foi socorrido no Hospital Central da Polícia Militar. A polícia encontrou morto um dos suspeitos no Catumbi.

A polícia informou também que um criminoso em fuga entrou em um prédio na rua Aristides Lobo, no Rio Comprido, e manteve duas mulheres e uma criança como reféns, além de ferir um homem. Policiais militares do Batalhão de Operações Especiais fizeram a negociação e, pouco depois das 7h desta quinta-feira (27), o criminoso se entregou.

As equipes apreenderam cinco fuzis, três pistolas, munições, artefatos explosivos e rádios comunicadores. As ocorrências foram encaminhadas para 6ª DP, 19ª DP e Delegacia de Homicídios.