Investigações concluem que Flordelis foi mandante do assassinato do pastor Anderson do Carmo

A Polícia Civil do e o Ministério Público do Rio de Janeiro prenderam hoje (24) oito pessoas pelo envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo, executado no dia 16 de junho de 2019, quando chegava em casa, em Pendotiba, Niterói.

Segundo os investigadores, a viúva, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) é a mandante do crime. Ela não pôde ser presa por causa da imunidade parlamentar.

Entre os presos, estão seis filhos do casal, uma neta e um ex-PM. Segundo a polícia, Flordelis já havia tentado matar o pastor com comida envenenada.

SAIBA AQUI QUEM SÃO OS DENUNCIADOS



PASSAGEM BÍBLICA DÁ NOME À OPERAÇÃO 

O inquérito concluiu que Anderson foi morto por questões financeiras e poder na família. O pastor controlava todo o dinheiro do Ministério Flordelis.

A deputada vai responder por cinco crimes: homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso. Pelo envenenamento, ela responderá por tentativa de homicídio.