André Leono fala das experiências com Deus durante a produção do álbum Tudo o que Tenho é Teu

Conhecido por sua participação no programa Raul Gil, em 2009, André Leono passou por grandes experiências com Deus que o trouxeram até o momento atual de total entrega ao Pai. Após o sucesso da música Tudo o que Tenho é Teu, o músico lançou recentemente um álbum homônimo que traz composições próprias e de outros autores, inclusive uma canção em inglês. Nesta entrevista, além do novo trabalho, André Leono fala ainda da sua caminhada com Deus, sobre como ele deixou uma vida de vícios para uma vida de adorador e total entrega ao Pai, sendo tratado dia a dia pelo pastor Josué Valandro Jr, líder da Igreja Batista Atitude, onde é membro.

Qual o balanço que você faz do seu ministério, desde a oportunidade no programa Raul Gil até hoje?

André Leno: Eu cheguei no programa do Raul Gil com uma vida distante do Senhor. Eu era espírita, alguém que era dado a banho de ervas, consulta a espíritos... enfim, andava perdido. Era alcoólatra, com o tabagismo presente desde a adolescência e tendo uma grande oportunidade na vida. Cheguei no programa através da pessoa que hoje é a minha esposa, que me ajudou a ficar liberto do álcool por algum tempo para que eu pudesse me libertar das drogas. E assim foi. Durante os principais momentos do programa, que determinaram um voo, tem a ver com isso. Eu fiquei 14 meses sem bebida alcoólica para que pudesse me libertar de drogas como cocaína e maconha. Isso foi muito importante naquele primeiro momento, mas eu não conhecia Jesus. 

No meio do processo eu me converti ao catolicismo e, no final do processo, em 2009 eu tive uma experiência no programa Raul Gil com o louvor “Espírito Santo”, uma composição da Eyshila, em uma homenagem que fomos fazer ao ministério da Fernanda Brum. Eu era o único não crente e fui cantar “Espírito Santo”, e o Espírito Santo me alcançou. Foi algo tremendo o que eu experimentei naquele dia. E fiquei mexido. Minhas bases tremeram. No ano seguinte, o William Nascimento foi me buscar em casa pra fazermos um evento gospel e lá fizeram uma roda com cantores, impuseram as mãos sobre mim e começaram a profetizar. 

Enfim, eu havia estado há algum tempo com algumas situações ruins, tonteiras... e no ano seguinte descobri que estava com síndrome do pânico em estágio avançado. Em 2012, eu abandonei o catolicismo. Parei de frequentar as reuniões e missas e já tinha experiência com a Palavra e com os louvores. Especialmente eu assisitia às pregações do pastor Silas Malafaia, do missionário R.R. Soares e até reuniões de madrugada da Universal pela TV. Eu fui sendo ministrado, entendendo e sendo apresentado a este ambiente. Foi algo maravilhoso. 

Foi em novembro de 2012, após uma experiência pessoal com uma canção do Thalles Roberto, chamada “Arde Outra Vez”, que eu me senti encorajado a, no meio da minha crise de pânico (eu já havia sofrido algumas internações de urgência por causa da doença) me vi prostrado, sozinho em casa, passando muito mal e clamando pelo socorro de Deus. Naquele momento reconheci que Jesus é meu Senhor. Eu pedi a Deus por uma oportunidade para que eu pudesse consertar tudo. Eu havia feito tudo errado na vida, já tinha 38 anos, e estava arrependido de muitas coisas, tantos passos equivocados, tantas decisões erradas, então veio a minha conversão. Em novembro de 2012. Eu corri rapidamente para a Igreja Batista Central da Barra, hoje Igreja Batista Atitude, presidida pelo pastor Josué Valandro Jr. E ali fui muito tratado. Um ano de choro, um ano de banco, um ano de estudo da Palavra, célula, sendo cuidado por pessoas, tive ótimos discipuladores. Hoje já tenho um ministério de ensino na área de adoração e intercessão, Treinamento Despertados. 

Portanto, o álbum “Tudo o que Tenho é Teu” não surgiu do nada. Lancei o primeiro trabalho após 7 anos de conversão. Era algo inimaginável pra mim. Estou muito feliz por tudo ter acontecido desta forma. Não vim para o Evangelho por causa de música. Eu vim para o Evangelho por causa de Jesus. Faminto, sedento, querendo vida, querendo algo novo. Eu me encontrei em Jesus e hoje não consigo nem olhar para trás, tampouco sei voltar.

E como tem sido este relacionamento com o pastor Josué Valandro Jr. e o Ministério Atitude?

Eu cheguei no Ministério Atitude quando ele ainda se chamava Igreja Batista Central da Barra. Eu venho acompanhando o crescimento da igreja. Quando eu cheguei havia 1.700 membros e hoje nós somos 15 mil membros. Em novembro eu faço 8 anos de convertido, juntamente com minha esposa e minha filha. Eu fui tratado pelo próprio pastor Josué, que me chamou para uma conversa assim que eu cheguei na igreja. No gabinete ele disse que viu que eu era alguém com muita notoriedade no meio musical, mas que precisava conversar sobre aquilo comigo. Ele perguntou se eu permitiria que ele e a igreja cuidassem de mim. E eu disse que eu e minha família estávamos ali na igreja para viver algo além da música. Nós estamos ali pra sermos cuidados, tratados. Contei toda a minha história para ele, do meu encontro com Jesus. Falei que não estava atrás de altar, tampouco de música. Eu estava em busca de Jesus. Aí o pastor Josué, que é um homem muito espiritual, muito obediente a Deus, disse acreditar em grandes ministérios, que tem o poder de alcance, e que tudo aconteceria de uma maneira muito saudável, se eu permitesse ser tratado pela igreja. E eu pedi: “cuida de mim, me prepara, me forja, eu quero ser ensinável”. E tem sido assim até hoje. 

Recentemente você lançou um novo trabalho que tem até uma música em inglês. Como foi produzir um trabalho totalmente cristão?

Falar sobre o projeto “Tudo o que Tenho é Teu” é algo explêndido, porque isso foi gerado no coração de Deus antes de tudo. Assim que eu me converti, Deus me deu uma canção pra falar sobre isso. Uma canção de ação de graças pra eu poder agradecer a Ele pela conversão, por ter me tirado do lugar onde eu estava, na sombra. Eu precisava agradecer a Deus em forma de canção. Ainda lá no comecinho, Deus me deu a canção “Novo eu Sou”, que posteriormente se juntou com as outras. Mas quando eu a compus, ainda não era o tempo. Eu guardei aquela canção pra poder registrar o momento profético que eu vivia e foram os momentos do primeiro amor. Esta canção registra este momento e está no álbum. Mas o tempo passou e eu não fiz mais canções nos anos seguintes. Até que chegou em 2016 , movido por algumas palavras de alguns profetas que diziam: “Olha, Deus está te chamando pra você ir, se fechar com a Palavra, porque Ele quer te dar louvores”. E foi o que aconteceu. Toda a madrugada eu descia para o home office do meu condomínio, em acordo com o pessoal da portaria, e eu ficava lá trancado das 3h às 6h trabalhando. Eu descia com o meu violão e com a minha Bíblia, com o celular com memória pra gravar e ficava lá produzindo. Tinha dia que saia o pedaço de uma música, outro dia uma canção inteira, às vezes não saía nada. Mas surgiram ali pelo menos uns 12 esboços de músicas. Entre eles, Deus me permitiu aprontar seis canções. Destas, quatro estão neste primeiro álbum. E já estou me preparando pra mergulhar novamente neste ambiente, porque eu já tenho outras canções sendo geradas e preciso concluí-las. 

O ano de 2016 foi o período de gerar estas canções. Eu me abri pra Deus e disse: “Senhor, se tem alguém que o Senhor já tem uma voz, que queira dar estas canções, que também possa ser assim”. E também me abri para receber canções. Não queria fazer o álbum totalmente autoral. Eu queria receber uma outra linguagem melódica, uma outra linguagem contextual. E aí chegou pra mim uma canção do Roger Passamani linda, chamada “Se Preciso For”. Chegaram também duas canções lindas do Tony Ricardo, um grande amigo. E então comecei a desenvolver o álbum. 

E como foi a história da canção “Tudo o que Tenho é Teu”?

Foi no ano seguinte que esta música chegou pra mim. Eu estava em uma igreja recém-inaugurada em Sepetiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, uma igreja pequena. E no meio da reunião, um homem me abordou dizendo que a filha dele tinha algo de Deus pra me entregar. No fim do culto, reservaram um espaço na cozinha pra gente conversar e ali a irmã Isabelle Dias pegou o violão e tocou esta canção pra mim: “Tudo o que Tenho é Teu”. E ela disse: “Deus falou pra mim que é pra você gravar essa canção. Não me pergunte o que é, mas eu sei que o Espírito Santo me incomodou a noite inteira dizendo que esta música é pra você. Eu só estou obedecendo”.

Ainda menor de idade, ela disse que nunca imaginou fazer isso na vida, abordar um cantor e dizer pra gravar uma música dela. Eu senti também o Espírito Santo nisso, mas disse que precisava de uma confirmação do Senhor. E pedi que ela me enviasse a música por áudio. Quando ela mandou, eu ouvi juntamente com minha esposa, em casa. Minha esposa não terminou nem a segunda estrófe e disse: “Pelo amor de Deus, liga para o pai dessa menina agora e diz que a gente vai gravar essa música.”

Foi desta forma que esta canção chegou pra gente. E chegou de uma forma tão forte, conforme a gente foi desenvolvendono estúdio, criando o formato dela, porque o compositor defende a canção com um determinado formato, mas às vezes precisa comunicar esta canção para as pessoas. E foi necessário uma atenção maior, olhar as intenções melódicas, construir situações de arranjo pra poder comunicar o poder desta mensagem. A gente se surpreendeu com o resultado dela de tal modo, que eu resolvi colocar o nome no projeto todo, “Tudo o que Tenho é Teu”, porque Deus ajudou a gente a cuidar de cada acorde naquela canção. Eu vi que Deus realmente estava nisso. E o Espírito Santo me fez ouvir nela coisas que eu não havia ouvido antes. Foram coisas espirituais que nós vivemos em estúdio que eu jamais vou esquecer. Os meninos que trabalharam nesse projeto comigo também passaram por situações parecidas. O produtor geral, Felipe Dias, e o produtor que nos ajudou a concluir o álbum, que foi o Lucas Rodrigues, que chegou e deu toda uma vida; uma ajuda necessária, porque o repertório é pesado de coisas a comunicar. Foi muito importante a gente contar com o Lucas Rodrigues na segunda etapa dessa produção. 

E a música em inglês deste projeto surgiu de que forma?

Eu dou aulas dentro do meu projeto de adoração. E Deus me mostrou que uma das minhas alunas teria uma experiência maior com Ele. Nessa experiência, Deus deu a ela uma canção em inglês. Ela me mostrou o trabalho, que fala sobre a nossa inconstância de alma, de atitudes e da relação com coisas espirituais. Então, Deus deu a ela uma carta: “Dear Jesus” (Querido Jesus). Ela fala sobre esta inscontância, mas que a todo momento Deus está ali com sua mão poderosa pra poder levantá-la e sustentá-la. É muito bonita a história desta canção. Ela tem um apelo muito forte para que as pessoas venham para uma vida constante em Deus. Porque a Bíblia fala em Romanos 5 que “aquele que persevera terá o caráter aprovado”. É muito bacana a mensagem desta canção em inglês. 

E no momento qual música deste álbum está sendo trabalhada?

É uma composição minha, chamada “Eu Vim te Buscar”, que chega agora às plataformas e também às rádios. É a canção que a gente está dando uma nova atenção agora para que as pessoas tenha um certo desespero de alma por adorar a Deus, buscar a Deus. É uma canção que traz “lenha”. A gente quer queimar, mas é preciso ter lenha pra queimar. O Espírito vir e fazer esta obra da queima em nós pra nos purificar e revelar o que Ele quer de nós. “Tudo o que Tenho é Teu” traz este projeto com muitas intenções, motivações específicas da questão espiritual. É um álbum para as pessoas terem experiências. “Eu Vim te Buscar” é a primeira canção que eu gerei. Deus me deu de uma vez só naquele home office. E eu escutava até um piano fazendo a introdução. Era algo muito louco! E quando eu vi, estava lá esta linda canção que diz: “Deus, meu Senhor, eu vim aqui pra te adorar. Eu vim te buscar, vim te ouvir, contemplar tudo o que Tu és”. Quando eu vi, já estava escrevendo a música inteira; já com os acordes e tudo mais. É uma das canções que eu tenho mais carinho dentro deste trabalho.

Teve outras experiências neste nível com Deus durante a produção deste álbum?

Sim. Deus me deu outras experiências. Eu tive uma canção gerada dentro do antigo templo da Atitude. Hoje estamos num templo para 4 mil pessoas, mas antes era um templo para 800 pessoas. E ali, durante a reforma de mudança para o que é hoje o centro de convenções, o espaço foi fechado. E aquele foi um momento que eu precisava muito de um tempo a sós com Deus. E eu queria voltar para aquele início, ali. Então, pedi para as minhas amigas da limpeza que me trancassem naquele espaço. Elas disseram: “André, você é maluco, tá tudo cheio de poeira ”. Mas eu insisti. Entrei no templo com o meu violão e a minha Bíblia e falei: “Senhor, eu preciso que se revele a mim. Revela esse amor pra mim”. De vez em quando o meu coração experimentava ainda uma certa raiva na forma como as pessoas tratavam a mim e minha casa. Eu precisava ser tratado nisso. Esse sentimento não podia ter espaço na minha vida. Eu não aceitava esse sentimento. Eu pedi a Deus para me limpar destas coisas e me colocar em outro nível de amor. E foi quando Deus se manifestou pra mim e veio a canção, com a Bíblia aberta, porque todas as canções são pura Bíblia. Foi assim que nasceu a música “Vem, Senhor”. 

A música “Tudo o que Tenho é Teu” costuma estar entre as mais pedidas na programação da Melodia. O que isso significa pra você?

Eu quero muito agradecer, desde já, à Rádio Melodia por ter dado voz a esta canção. São muitos os testemunhos que chegam até mim. Tenho muita alegria no coração por esta rádio produzir este sentimento na minha vida e na vida dos ouvintes. Não param de chegar testemunhos de pessoas que foram alcançadas por esta música. Pessoas que dizem lembrar de mim no Raul Gil, mas só agora descobriram que eu já estou andando nestas águas há algum tempo. É lindo o que está acontecendo. Muito obrigado à Melodia por esse olhar. A rádio está olhando para o que Deus está fazendo. Não tem nada a ver comigo. Foi um presente que a rádio me deu. Saber que sua música está entre as mais pedidas de uma rádio é algo incrível. Louvo a Deus pela grandeza da Melodia como um poderoso veículo no Brasil.

O que gostaria de deixar como mensagem a todos que acompanham o seu ministério e curtem suas canções?

Sejam levados para um lugar novo de oração e adoração. Sejam despertados num novo lugar de descoberta das Escrituras. Sejam levados a um lugar de revelação através do Espírito Santo de Deus. Sejam totalmente íntimos desse Deus. E abraçados por Ele, que é um Deus de amor e de bondade. Que vocês possam descobrir uma linda relação com Ele. Uma relação de respeito e senhorio sim, mas também uma relação de afeto como filho e como amigo. Abraão era amigo de Deus. Moisés era amigo de Deus. Noé era amigo de Deus. Davi era amigo de Deus, mas tinha consciência de que também era filho e que Deus é Senhor. Nós podemos sim ter uma relação com Deus muito sincera e poderosa. É o que eu desejo a todos. Busquem sempre expor tudo diante do Reino de Deus, dizendo: “Senhor, onde eu entro? O que eu tenho que fazer para mudar? Onde eu posso ser um agente do seu Reino pra mudar estas coisas da realidade na Terra?”. Que você tenha este desespero de alma, de ser um agente do Reino de Deus para ativar a fé de muitos e trazer todas as curas e restaurações necessárias a sua volta e por onde você passar. 

E se você está atravessando alguma situação, creia que se você fechar a porta do seu quarto e clamar a este Deus dizendo “eu creio que Jesus Cristo é seu Filho e que é Senhor, e eu quero Ele como Senhor da minha vida”, eu tenho certeza que as respostas irão te surpreender. Você não imagina as revelações do quanto você é livre, do quanto você é amado. Eu tenho certeza de que as experiências do próprio Deus irão iluminar sua vida para que todos possam ouvir suas experiências. Eu digo isso por experiência própria. O próprio Deus está dando iluminação aos testemunhos que o Filho Dele está realizando na minha vida e na vida de tanta gente. Seja também alguém relevante no Reino de Deus. Tenha coragem. Seja ousado.