Rio de Janeiro registra queda de até 82% do número de óbitos por coronavírus
Desde o pico da pandemia, na primeira quinzena de maio, o Estado do Rio tem registrado redução do número de novos óbitos diários por coronavírus.

Comparando as semanas epidemiológicas (SE) 19 e 20, referentes ao período de 3 a 16 de maio, com as SE mais recentes, de número 29 e 30, entre os dias 12 e 25 de julho, a queda dos óbitos chega a 82,5%. Enquanto há três meses ocorreram em média 258 mortes por dia decorrentes da Covid-19, em julho foram 45 óbitos por dia, como indica a plataforma estadual Painel Coronavírus.

Para efeito estatístico, as semanas mais recentes não são levadas em conta porque ainda podem ocorrer notificações de novos casos e óbitos, além de revisão de dados. Mas mesmo nos últimos 15 dias é possível afirmar que a redução do número de óbitos continua.

Na contramão da maioria dos demais estados, o ritmo de evolução da pandemia no Rio de Janeiro é reduzido, com gradativas baixas de notificações. Para o governador Wilson Witzel, os números atuais são reflexo da adoção de medidas de isolamento social adotadas pelo Governo do Estado ainda na primeira quinzena de março.

- Fomos pioneiros no país em apoiar o isolamento social, decretando medidas restritivas antes mesmo de termos o primeiro óbito registrado. Nossa atuação preventiva foi determinante para termos queda dos óbitos de forma antecipada em relação aos outros estados, e para pouparmos mais de 125 mil vidas. Reforço ainda minha solidariedade às famílias que tiveram entes vitimados pela doença - pontua Witzel.

Secretário de Estado de Saúde, Alex Bousquet frisa que os dados sobre óbitos devem ser analisados pela data de notificação e não de divulgação nos boletins oficiais. Segundo ele, outro fator de destaque no cenário epidemiológico no Rio de Janeiro foi a estrutura da rede estadual de saúde para tratamento de pacientes, que hoje conta com 900 leitos de retaguarda.

- O atual momento da pandemia, com baixa demanda por leitos e reduzida taxa de ocupação, direciona para a desmobilização de unidades referenciadas. Dessa forma, podemos retomar os demais atendimentos e reforçar a assistência a outras especialidades. A estratégia adotada pela Secretaria de Saúde é apoiar os municípios, pactuando a oferta de leitos locais e dando suporte operacional com equipamentos, profissionais e insumos - afirma Bousquet.

Além dos óbitos, os casos confirmados também registraram queda de 48,6% no Rio de Janeiro na comparação entre a primeira quinzena de maio e o período de 12 a 25 de julho. A secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid, Flávia Barbosa, destaca que os casos já diminuíram muito e atualmente estão estabilizados. Ela lembra que recentemente o Ministério da Saúde alterou as definições de casos de Covid.

- A redução dos casos é menor do que a dos óbitos porque houve o reforço da testagem da população e a ampliação dos critérios para notificar casos de Covid. Outra análise interessante a ser feita é sobre as internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave, que contabilizam quadros graves, e como a prevalência do coronavírus tem diminuído em relação outros tipos virais - aponta Flávia.

Até esta sexta-feira (14), o Rio de Janeiro registrou 14.507 óbitos e 189.891 casos de Covid-19. Entre os infectados, 169.693 já se recuperaram da doença. Atualmente, de acordo com a Secretaria Extraordinária da Covid-19, o Estado do Rio está classificado na Bandeira Amarela, indicativo de risco baixo para a doença.