Lava Jato prende procurador suspeito de receber propina nas obras do metrô no Rio A força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta segunda-feira (1°), o procurador do estado Renan Saad.

Ele é suspeito de receber R$ 1,2 milhão em pagamentos da Odebrecht relacionados à mudança do traçado das obras do metrô do Rio. Saad foi preso em casa, em São Conrado, Zona Sul do Rio de Janeiro.

A Linha 4 do metrô liga a Zona Sul à Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, e foi entregue para os Jogos Olímpicos de 2016.

Segundo investigações, Saad era identificado neste sistema de corrupção como “Gordinho”. Os repasses a ele teriam ocorrido entre os anos de 2010 a 2014.

De acordo com a Lava Jato, os pareceres emitidos pelo procurador foram "fundamentais" para a viabilização das obras do sistema metroviário.

As investigações apontam ainda que os pagamentos foram operacionalizados por meio do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, sistema usado pela empreiteira para repassar propinas a políticos.