Série de ataques contra cristãos faz mais uma vítima na Índia Uma jovem no distrito de Khunti, em Jharkhand, tornou-se a quinta vítima de uma série de ataques contra cristãos que são perseguidos na Índia por causa de sua fé.

A mulher, Suman Munda, de 25 anos, foi encontrada morta em 19 de julho em um lugar deserto perto de sua casa, segundo o site Vatican News. Um mês antes, em 24 de junho, outro cristão, Ramji Munda, 27 anos, foi morto perto de uma vila no distrito de Khunti.

Ao falar sobre o assassinato de Munda, o bispo Binay Kandulna disse: "É uma questão de séria preocupação, porque o Estado testemunhou um homem cristão morto no mês passado no mesmo distrito".

A organização Voz dos Mártires relatou histórias dos assassinatos de alguns dos crentes.

"A perseguição está aumentando em toda a Índia. Se fosse uma vila ou um estado, e você pudesse dizer: 'Sim, as coisas são realmente difíceis lá, mas olhe para esses outros lugares', mas quando você vê pessoas em quatro estados diferentes em um período de tempo tão curto, morto, reflete realmente a atitude e a atmosfera dos cristãos em toda a Índia”, diz a organização.
A Voz dos Mártires lembra que o governo nacional é liderado por nacionalistas hindus, pessoas que acreditam que o solo indiano é solo hindu, e que todas as pessoas na Índia devem ser hindus.

O bispo Kandulna pede tolerância religiosa em toda a Índia.
"As pessoas de fé", disse ele, "são uma criação de Deus e temos que respeitar a todos". O bispo acrescentou: "Alguns grupos de interesses estão tentando atingir minorias no estado para espalhar o ódio entre várias religiões que, de outra forma, são pessoas que amam a paz".

O assassinato de cristãos na Índia está em ascensão.
Em 2019, o Persecution Relief, um grupo dedicado a ajudar cristãos perseguidos na Índia, registrou 527 casos de perseguição contra cristãos, em comparação com 447 casos em 2018.